Greca quer empréstimo de R$ 120 milhões para asfaltar ruas

Fernando Garcel

O prefeito Rafael Greca (PMN) enviou à Câmara dois projetos para o empréstimo de R$ 120 milhões. Se aprovado pelos vereadores, o valor será destinado à pavimentação de 100 quilômetros de ruas em áreas de interesse social da Prefeitura de Curitiba. Os projetos foram apresentados com pedido de urgência que deve ser votado na sessão de terça-feira (21).

“A malha viária de Curitiba possui uma extensão de 4.515 km. Cerca de 93,9% é coberta por pavimento alternativo, por asfalto, concreto e outras modalidades, cujas intervenções para conservação e ampliação devem ser permanentes. No entanto, 6,10% dessa extensão, o que representa 275 km, localizada principalmente em loteamentos e áreas de interesse social, possui apenas tratamento em saibro”, justifica Greca nos projetos.

> Promessas eleitorais de Greca ficam fora do Plano Plurianual
Greca sanciona leis da desvinculação da taxa de lixo e do CuritibaPrev

As propostas determinam que os valores virão do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal. Cada uma financiaria R$ 60 milhões à Prefeitura.


Os pedidos de urgência foram solicitados pelo vereador Pier Petruzziello (PTB), líder do Executivo na Câmara. No documento, ele explica que, no caso dos R$ 60 milhões do Banco do Brasil, há a necessidade de enviar até 30 de novembro a documentação do Município – que inclui a existência de lei autorizativa do Legislativo para a operação de crédito. É a mesma situação do financiamento junto a Caixa, com a diferença que aqui o prazo é maior, sendo 31 de dezembro a data limite para, com a documentação reunida, ter obtido a concordância da Secretaria do Tesouro Nacional para o empréstimo.

Ainda que falem haver juros e encargos financeiros decorrentes da operação de crédito, os projetos não estipulam as condições do financiamento, dizendo apenas que “os prazos de desembolso, carência e amortização, os encargos financeiros e outras condições de vencimento e liquidação da dívida a ser contratada, obedecerão às normas pertinentes estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional”.

Com informações da Câmara Municipal de Curitiba
Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook