Uber bloqueia solicitações de viagens em locais considerados perigosos

Mariana Ohde


Por Brunno Brugnolo, Metro Curitiba

Com problemas recorrentes de assaltos a motoristas parceiros em Curitiba – em um caso recente, um motorista foi morto por assaltantes -, a Uber vem analisando os dados das milhões de viagens feitas na cidade, além de comentários de motoristas, para realizar bloqueios pontuais do aplicativo.

Segundo a empresa, “o aplicativo pode impedir solicitações de viagens em áreas com desafios de segurança pública em alguns dias e horários específicos”. Ou seja, determinadas áreas com muitas reclamações acabam sendo bloqueadas em alguns períodos.

Nos últimos dias, usuários relataram ao Metro Jornal uma demora incomum ao chamar um carro, que superou os 30 minutos. Um deles aconteceu próximo à Cruz do Pilarzinho, no domingo à noite. Motoristas também alegaram que alguns locais não estavam aceitando corridas.

De acordo com a empresa, nenhuma grande área ou bairro é bloqueado, como também não existem locais com bloqueio fixo. “Esse trabalho é realizado de forma constante, portanto as áreas, dias e horários mudam constantemente, de acordo com a dinâmica da cidade”, informou a Uber por nota.

Como a análise é feita em tempo real, trechos com bloqueio de trânsito devido a obras também podem ser afetados. A empresa disse que o trabalho é feito desde que iniciou suas atividades na cidade (em março do ano passado). Contudo, a frequência aparenta ser maior recentemente, já que alguns motoristas assíduos do aplicativo consultados pelo Metro disseram desconhecer os eventuais bloqueios.

A tecnologia é a mesma usada em outras cidades do Brasil e do mundo, como forma de “aumentar a segurança de motoristas parceiros e usuários”, como define a Uber

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal