Pessoas que viram o acidente são testemunhas-chave no julgamento de Carli Filho

Mariana Ohde

Com BandNews Curitiba

Pessoas que presenciaram o acidente que matou Gilmar Yared e Murilo de Almeida são consideradas testemunhas-chave do processo contra o ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho, acusado de causar a colisão, em 2009.

Na época, as vítimas tinham 26 e 20 anos. Carli Filho dirigia alcoolizado e a mais de 160 km/h em uma via onde a velocidade máxima é de 60 km/h. Ele responde por duplo homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

No dia 27 de fevereiro, começa o júri popular que vai decidir o destino do ex-deputado estadual. Até oito testemunhas podem ser ouvidas no julgamento. Entre elas, está a deputada federal Christiane Yared, mãe de uma das vítimas.


Segundo o assistente de acusação, advogado Elias Mattar Assad, quatro testemunhas que estavam próximas ao local do acidente são fundamentais. “O guardião do posto de gasolina que, já no processo, declarou que, naquela esquina, o farol estava piscando em amarelo e diz ‘eu não vi o impacto porque ele aconteceu lá para baixo’. E a perícia fala que se deu o impacto 30 metros após o cruzamento”, explica.

“Outro motorista, de um veículo que estava no mesmo sentido das vítimas, viu tudo. Do outro lado da rua, em sentido contrário, tinha mais um rapaz que, naquele momento, diminuiu, foi chegando na esquina. Ele viu o farol em amarelo. Tem uma outra, que é funcionária de farmácia e morava na esquina. Ela vê tudo. Ela conta que o carro ‘acavalou’ em cima do outro. Ela disse que não foi batida, ela falou que ‘veio pelo ar'”, explica. Um dos argumentos da defesa de Carli Filho é o de que ex-deputado estadual estava em uma via preferencial e os jovens teriam atravessado essa via. Com isso, o carro de Carli Filho teria atingido lateralmente o das vítimas.

O advogado Elias Mattar Assad diz que, até o dia do julgamento, algumas testemunhas podem desistir de participar.

O julgamento está marcado para os dias 27 e 28 de fevereiro. Cerca de 200 pessoas vão poder acompanhar as sessões. A 2ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba vai distribuir senhas na próxima sexta-feira (23) para os interessados em assistir ao júri.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook