Adiado júri popular de ex-policial acusado de matar comandante da PM

Andreza Rossini


O julgamento do ex-policial militar acusado de matar o major Pedro Plocharski foi adiado por renúncia do advogado de defesa, segundo o Ministério Público do Paraná.

O júri seria realizado nesta quinta-feira (22) e ainda não foi remarcado.

13 anos depois 

Na época do crime,  em 28 de janeiro de 2005,  o major exercia interinamente o cargo de comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar, sediado no bairro Capão Raso, na capital. Segundo as investigações do MP, o réu, que na época deveria cumprir pena na Colônia Penal Agrícola em regime semiaberto, teria efetuado os disparos contra a vítima.

Outro ex-policial militar estaria dirigindo o veículo utilizado para a prática do crime. Este, apesar de estar em liberdade, respondia a processos na Justiça e foi morto em confronto com a polícia civil, em janeiro de 2012.

O crime

Dois homens armados com uma metralhadora calibre 9 milímetros assassinaram o major, de 49 anos, com dezenas de tiros. Plocharski deixava a sede do Batalhão e seguia para sua casa, de fusca, no bairro Umbará, quando foi surpreendido pelos criminosos.

Interceptações telefônicas apontam o envolvimento dos policiais que assinaram o major com criminosos.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="511722" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]