Em dia chuvoso, 18ª Parada LGBTI reúne 10 mil em Curitiba

Narley Resende


Com  Lucian Pichetti, CBN Curitiba 

A concentração da 18ª Parada LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexuais) em Curitiba começou às 11h, na Praça 19 de Dezembro, com cerca de 10 mil pessoas, segundo a Polícia Militar (PM).

A chuva que caia desde o início do dia deu uma trégua durante a tarde, quando o evento teve seu auge. A Guarda Municipal demorou uma hora para fazer o bloqueio da Avenida Cândido de Abreu e o desfile, que deveria ter começado às 14h, teve início às 15h.

Muito irreverentes e carregando as cores do arco-íris em camisetas e bandeiras, os participantes desfilarem por toda a Avenida, em direção ao Palácio Iguaçu.

A advogada Mariana Veloso veio do Rio de Janeiro para a parada. Segundo ela, o grito de todos é pelo fim do discurso de ódio.

“É para de preconceito, parar de limitar as pessoas. Curar o ódio, que infelizmente está tomando conta do nosso país em todos os cantos e a gente não chega a lugar nenhum desse jeito”, afirma.

Foto: Lucian Picheti / CBN Curitiba
Foto: Lucian Picheti / CBN Curitiba

O lema da edição deste ano é “O que eu tenho a ver com isso?”. Quer dizer que qualquer pessoa, seja ela homossexual ou heterossexual, tem a responsabilidade de fazer o enfrentamento à violência e à discriminação. “Procuramos paz e igualdade. Só isso. E respeito, é claro”, pontua.

Um casal de lésbicas veio fantasiado de presidiária, com macacão laranja da série “Orange is The New Black”. Elas afirmam que quiseram dizer que muitos homossexuais vivem uma uma espécie de prisão, imposta pelo preconceito. “Estou presa, mas o meu grito é de liberdade”, discursa.

O Hino da Parada, “Amar não é pecado”, da cantora Noemi de Carvalho, foi uma das novidades do evento em 2017.

A Parada da Diversidade LGBTI é promovida pela Associação Paranaense da Parada da Diversidade LGBTI, com apoio da Fundação Cultural de Curitiba.

Previous ArticleNext Article