Animais levam 2ª maior emenda de vereadores em Curitiba

Andreza Rossini


Repórter Thiago Machado do Metro Curitiba

A Rede de Monitoramento e Proteção Animal vai receber neste ano R$ 710 mil através de uma emenda proposta por 29 vereadores de Curitiba. Ela será a segunda maior emenda coletiva de 2018 – perdendo apenas para os R$ 807 mil destinados para o Hospital Cajuru, que foi assinada por 28 vereadores. É comum que os vereadores peçam uns aos outros apoio para assinar emendas coletivas.

No caso da proteção animal a organizadora foi a vereadora Fabiane Rosa (PSDC), que aplicará sozinha o valor de R$ 340 mil. “Quando os vereadores vinham me pedir apoio para alguma emenda coletiva deles eu falava que também precisa de ajuda na minha”, explica.

Apenas 9 dos 38 vereadores da Câmara não participaram da emenda de Fabiane – sinal que a causa animal vem ganhando visibilidade na Casa. “Eu costumo dizer que os animais deixaram de ser invisí- veis. No dia em que eu assumi o cargo tive que pedir autorização para entrar na Câmara com meu cachorro. Já na última sessão do ano, quando apareceu um cachorro na entrada ele já virou uma atração entre os vereadores”, exemplifica.

Duas candidatas se elegeram em 2016 levantando, quase exclusivamente, a bandeira da proteção animal – além de Fabiane, Kátia dos Animais (SD) ganhou uma cadeira. Antes disso, Prof. Galdino se destacava na causa, mas ele não concorreu. Antes de 2017 também não era tão comum que os parlamentares se organizassem em conjunto pelos animais. “O Galdino chegou a destinar sozinho R$ 500 mil para a construção de um centro, que acabou não sendo feito”, lembra Fabiane. “Outros vereadores como o Helio Wirbiski (PPS), que foi quem me deu a ideia para essa emenda, também costumavam destinar recursos, mas uma emenda assim nunca teve”.

Previous ArticleNext Article