Após 20 anos, Greca retorna à prefeitura de Curitiba; relembre as propostas

Fernando Garcel


Com Thiago Machado, do Metro Jornal Curitiba

Com uma diferença de 56,4 mil eleitores (ou 6,5% dos votos dos válidos) o ex-prefeito Rafael Greca (PMN) venceu a disputa pela prefeitura de Curitiba contra o deputado estadual Ney Leprevost (PSD) no domingo (30). Duas décadas depois do fim da sua primeira gestão, ele vai reassumir o cargo em janeiro de 2017 – Greca deixou o cargo em janeiro de 1997.

Após a divulgação do resultado, Greca citou a manutenção urbana e o sistema de saúde como primeiros passos da sua gestão. Ele também disse que quer ocupar um espaço no Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento de Curitiba) a partir de hoje, caso obtenha a autorização do prefeito Gustavo Fruet (PDT). “O trabalho começa amanhã no Ippuc, em uma casa que já está preparada para me receber. Sempre foi o meu lugar de ficar, é uma biblioteca e eu não vou causar nenhum transtorno. Ali vai ser o escritório de transição”, disse.

Trabalho começa depois do feriado, diz Greca na festa da vitória

Greca venceu em nove das dez zonas eleitorais de Curitiba. A maior diferença sobre Ney foi na 1ª Zona – região do Boa Vista, Pilarzinho, Ahú e Bom Retiro, em que obteve 58,17% contra 41,83% de Ney. Já o deputado venceu apenas na 175ª (no Tatuquara, Capão Caso, Campo de Santana e parte da CIC), por 51,58% contra 48,42%.

Trajetória

Aliado ao governador Beto Richa e formando uma grande coligação, Greca começou liderando as pesquisas, que indicavam, inclusive, uma vitória no 1º turno. Mas uma declaração desastrada sobre moradores de rua fez ele perder muitas intenções de voto. Já no 2º turno as pesquisas indicavam uma margem apertada para o rival, mas Greca conseguiu a virada na reta final, com uma intensa campanha de desconstrução de Ney.

Propostas de Rafael Greca para gestão 2017-2020

  • Revitalizar 6 bairros: Cajuru; Uberaba, Boqueirão, Sitio Cercado, Umbará e Caximba.
  • Reduzir o número de Secretarias e de cargos comissionados.
  • Reorganizar em 180 dias todos os 109 Postos de Saúde e as 9 unidades 24 horas garantindo a oferta de medicamentos e insumos.
  • Implantar um novo modelo de agendamento de consultas nos Postos de Saúde – para que pessoas não precisem ir de madrugada para as filas para conseguir consultas.
  • Organizar o sistema de triagem para atender a população de moradores de rua.
  • Investir em programas de inclusão.
  • Implantar em todas as regionais os Clubes Comunitários: complexos aquáticos para prática de natação, hidroginástica e hidroterapia, além de atividades esportivas, de lazer e de atendimentos.
  • Criação do Vale do Pinhão no São Francisco ou Rebouças: área com redução ou isenção de IPTU por 10 anos e isenção do ITBI.
  • Parceria com a Junta Comercial para concentrar em um único local a solicitação do registro da empresa e a entrega de documentos.
  • Integrar novamente o transporte municipal com o transporte metropolitano.
  • Renovar e qualificar a frota de ônibus.
  • Criar uma tarifa diferenciada nos coletivos, em horários alternativos diminuindo a sobrecarga nos horários de alto fluxo.
  • Revitalizar os terminais de ônibus, integrando-os a novos modais.
  • Implantar a geração de energia decorrente do processamento do lixo, nos aterros, para utilização no transporte público.
  • Em 24 meses de gestão: implantar o Centro de Especialidades Metropolitano no Portão com Cardiologistas, endocrinologistas e geriatras.
  • Implantar o Pronto Socorro Infantil Metropolitano e a Unidade de Estabilização Psiquiátrica.
  • Fazer novas parcerias para aumentar a oferta de vagas para crianças de 0 a 3 anos.
  • Realizar mutirão de cirurgias zerando as filas existentes atualmente.
  • Criar um calendário fixo para os grandes eventos da Cidade e oferecer as condições necessárias para sua realização com pelo menos 04 grandes ações anuais por área.
  • Ativação do circuito do bonde turístico entre o Passeio Público e a Antiga Estação de Trens.
  • Implementar do Parque Paranista no Bom Retiro Zerar o IPTU dos teatros particulares de rua.
  • Criar e implantar o “Museu da Cidade” com foco na cidadania e no funcionamento da cidade (subterrâneo, superfície, zoneamento, história, a partir de um projeto museográfico interativo e contemporâneo, nos moldes do Museu da Língua Portuguesa).

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="394664" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]