Após ação e críticas, prefeitura amplia prazo do zoneamento em Curitiba

Narley Resende


Repórter Thiago Machado, Metro Jornal Curitiba

O presidente do Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba), Sérgio Póvoa Pires, anunciou na noite de quarta-feira a ampliação por 30 dias do prazo para participação na consulta pública, via interna, do processo de adequação da Lei de Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo ao Plano Diretor.

As sugestões agora são aceitas até o dia 18 de julho, no endereço www.curitiba.pr.gov.br/leidezoneamento

O tempo exíguo para debates e a falta de audiências públicas vinha sendo criticada por movimentos da sociedade civil organizada.

A Frente Mobiliza Curitiba reclamava da realização de apenas uma audiência pública e de oficinas marcadas para o horário comercial. Agora, além de aumentar o prazo, a prefeitura anunciou que fará novas reuniões.

“Decidimos pela ampliação do prazo para aumentar a oportunidade de participação da comunidade. Aqueles que não puderam participar na primeira etapa da consulta pública terão mais 30 dias para enviar suas contribuições”, enfatizou Sérgio Pires.

O instituto também fará uma nova rodada de oficinas nas dez administrações regionais, que serão realizadas entre os dias 11 e 15 de julho.

Os horários ainda não foram definidos.

Processo

Em 17 de maio a Terra de Direitos e o IDP (Instituto Democracia Popular), entidades que fazem parte da Frente Mobiliza Curitiba, ingressaram com uma ação para suspender a tramitação do projeto.

Na semana passada, no entanto, o juiz da 33ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, Roger Vinicius de Camargo Oliveira negou o pedido.

6ª Conferência

Começou na quarta a 6ª Conferência da Cidade de Curitiba, que, entre outros assuntos, vai definir propostas para o zoneamento da capital. O encaminhamento do anteprojeto da lei para a Câmara Municipal está previsto para 15 de agosto.

Previous ArticleNext Article