Bancos de Curitiba devem contratar vigilantes mulheres para revistar bolsas de clientes

Andreza Rossini


O projeto de lei da vereadora Julieta Reis (DEM) que prevê que todos os bancos de Curitiba devem contratar uma vigilante mulher para manter a privacidade das clientes foi aprovado na Câmara Municipal, nesta terça-feira (14), com 23 votos favoráveis.

“Para vocês verem como Curitiba tem poucas vigilantes mulheres trabalhando nos bancos da cidade, se cada uma das 397 agências contratasse uma profissional de segurança ainda assim as mulheres seriam apenas 0,5% da força de trabalho”, disse Julieta.

Para a advogada Amanda Maister de Caires, do Sindicato dos Vigilantes de Curitiba, a presença de uma mulher no controle de entrada das agências bancárias tornaria a revista pessoal menos constrangedora para as clientes. “Quando as mulheres entram numa agência bancária e a porta giratória trava, geralmente é um homem que faz a revista dos pertences. Se tem uma fralda, ele imagina algo, que aquela mulher ‘é bela, recatada e do lar’. Se tem um preservativo, talvez pense naquela menina vítima de estupro”, disse, reclamando dos julgamentos a que se submetem as mulheres nessa situação. “As mulheres têm direito à intimidade”, defendeu Amanda.

“A revista pessoal e a vistoria de bolsas e pertences costumam ser realizadas por vigilantes do sexo masculino, o que é inconcebível. A preservação da intimidade é direito constitucionalmente garantido e merece ser respeitado”, defendeu Julieta Reis no projeto de lei. A vereadora organizou um debate público sobre o tema no dia 2 de junho, antes da proposição vir a plenário. “As políticas públicas e o pensamento contemporâneo caminham para uma maior proteção da mulher”, defendeu Julieta, que recebeu o apoio das vereadoras Professora Josete (PT) e Noemia Rocha (PMDB).

O projeto de lei segue para sanção do prefeito Gustavo Fruet e se for aprovada sem vetos no Executivo, entra em vigor dentro de 90 dias.

Previous ArticleNext Article