Bancos podem ser obrigados a contratar vigilantes mulheres em Curitiba

Fernando Garcel


A contratação de vigilantes mulheres em instituições bancárias pode se tornar obrigatória em Curitiba. Isso é o que o projeto de lei da vereadora Julieta Reis (DEM), que deve ser votado nesta terça-feira (14), pretende determinar. Segundo a vereadora, é inconcebível que homens revistem e façam a vistoria em mulheres.

O tema já foi debatido em junho deste ano, mas agora conta com algumas alterações. Em vez de criar uma lei exclusiva para a presença das vigilantes mulheres, como previa originalmente, o texto agora acrescenta um parágrafo ao Estatuto de Segurança Bancária, que reúne as normas referentes às instituições financeiras da cidade. Caso aprovada e sancionada, a lei entra em vigor noventa dias após a publicação em Diário Oficial.

“Nós discutimos isso porque, mesmo que a função exija porte físico, existe muitas questões de segurança que exigem uma certa de dose de psicologia e de sensibilidade para determinadas situações”, diz a vereadora.

Reprodução / Arquivo/CMC
Reprodução / Arquivo/CMC

Além disso, Julieta afirma que a revista pessoal e dos pertences de mulheres deve ser feita exclusivamente por outras mulheres. “A revista pessoal e a vistoria de bolsas e pertences costumam ser realizadas por vigilantes do sexo masculino, o que é inconcebível. A preservação da intimidade é direito constitucionalmente garantido e merece ser respeitado”, defende. “Nós mulheres quando abrimos nossa bolsa também abrimos nossa intimidade. E nesse momento em que uma mulher abre a bolsa, pra mostrar que não há nada proibido, se for uma mulher segurança ela vai se sentir muito mais à vontade. Sem se sentir constrangida”, completa.

Previous ArticleNext Article