Bebê de 11 meses é esquecida por funcionários em creche de Curitiba

Andreza Rossini


Funcionários de uma creche em Curitiba fecharam a instituição de ensino e esqueceram um bebê de apenas 11 meses sozinho no local, na tarde de terça-feira (20). De acordo com o advogado da família da criança, Dr. Vicente Bomfim, os pais foram buscar a menina no horário habitual, por volta das 18h05 e a creche já estava fechada. “Os pais tocaram a campainha, não tiveram resposta, e perceberam por uma fresta no muro que a escola havia fechado. Entraram em desespero e ligaram para a polícia acreditando que a criança havia sido entregue à outra família”, afirmou em entrevista ao Paraná Portal.

Ainda de acordo com Bomfim, a mãe da criança conseguiu entrar em contato com a diretora da creche por meio das redes sociais. Uma funcionária foi encaminhada para abrir a instituição e encontrou a criança. “Ela estava em uma sala, dentro de um carrinho virado para a parede no escuro”, disse o advogado. O bebê passa bem. “O problema é o que isso gerou para os pais. Imagina se ela tivesse tido um refluxo e se afogado?”, questionou.

Uma postagem de desabafo do pai nas redes sociais viralizou e teve mais de 550 compartilhamentos até às 17 horas desta quarta-feira (20).

O advogado de defesa da creche Construir, Rogério Faria da Silva, afirmou que a responsável pelo caso foi afastada da instituição. “Nós estamos averiguando o que realmente aconteceu e o responsável por cuidar das crianças já foi afastado”, disse.

CapturarVeja a nota de esclarecimento na íntegra: 

Venho por meio desta, como advogado da instituição citada nas notícias sobreo caso da criança e a escola infantil, informar o seguinte: Primeiramente cumpre observar que os procedimentos administrativos internos estão sendo realizados a fim de averiguar a realidade dos fatos. A instituição lamenta o ocorrido, sendo este um caso isolado, não existindo qualquer situação semelhante em quatro anos de atividade. A Instituição reforça seu comprometimento e cuidado no exercício de sua atividade, que compreende como de grande responsabilidade, garantindo medidas cautelares necessárias a fim de resguardar o correto e adequado exercício de suas atividades. Cabe ainda observar, que os proprietários estão extremamente abalados e fragilizados com os fatos imputados à Instituição, ficando os mesmos à disposição para eventuais esclarecimentos e apoio necessário aos envolvidos. A escola averigua ainda, a falha de seus colaboradores, sendo que de imediato realizou o afastamento de pessoa envolvida.

Previous ArticleNext Article