Câmara municipal extingue 24 cargos efetivos

Andreza Rossini


Os vereadores da Câmara Municipal de Curitiba confirmaram a extinção de 24 efetivos da Casa, nesta quarta-feira (18). São três vagas de auxiliar de segurança e 21 de serviços gerais, outras 11 estão desocupadas e serão extintas imediatamente. Treze vagas serão mantidas até que os servidores que ocupam os cargos se aposentem.

Apenas o vereador Professor Galdino (PSDB) usou a tribuna para discutir a matéria hoje (18). A votação em primeiro turno, realizada na terça-feira (17), durou duas horas.

A medida foi colocada pela Procuradoria Jurídica do Legislativo como uma condição para novas licitações de vigilância patrimonial e serviços gerais. “Nós, da oposição, não estamos aqui contra a Mesa Executiva”, disse Galdino. “Queremos só discutir antecipadamente as proposições polêmicas, essa e as outras que alterarão o organograma do Legislativo”, justificou-se. Também falando em nome da “oposição”, Chico do Uberaba recomendou a desaprovação da matéria. Bernardi reafirmou ser contra a terceirização de serviços.

Além dos três, Edson do Parolin (PSDB) e Josete (PT) votaram contra a extinção dos cargos. Mestre Pop (PSC) se absteve. Na véspera, Pedro Paulo (PT), primeiro-secretário do Legislativo, explicou a necessidade jurídica da medida, disse que ela não significa ampliação das terceirizações dentro da Câmara Municipal, que os servidores em atividade nesses cargos não serão afetados, e que a vigilância e serviços gerais são feitos mediante licitação há 10 anos.

Previous ArticleNext Article