Com GM, efetivo de fiscais de trânsito aumenta 70%

Andreza Rossini


Do Metro Curitiba

Curitiba terá ainda neste mês um aumento de 70% no efetivo de agentes com poder de fiscalizar o trânsito, orientar os motoristas e, eventualmente, aplicar multas.

Hoje a cidade conta com cerca de 300 servidores da Setran (Secretaria Municipal de Trânsito) para a tarefa, mas, a partir da segunda metade de janeiro, mais 205 agentes da GM (Guarda Municipal) vão atuar na função.

Já prevista em lei federal, a função extra foi autorizada no final do ano passado. Guardas municipais não vão fiscalizar o uso do EstaR (Estacionamento Regulamentado), por exemplo, e não serão deslocados apenas para fiscalizar o trânsito.

A GM vai atuar nos lugares onde já tem mais presença, como praças, escolas e parques. “A mudança nos dá mais segurança. Quando eu trabalhava no [Parque] Tanguá, tinha um pessoal que estacionava no local onde chega a jardineira [ônibus da Linha Turismo]. A guarda orientava e pedia para tirar o veículo. Mas a população, sabendo que a guarda não emitia multa, desobedecia, e aquilo virava um desacato”, conta Luiz Vecchi, presidente do presidente do Sigmuc (Sindicato dos Servidores da Guarda Municipal de Curitiba).

Os 205 guardas que começarão a atuar em janeiro fizeram um curso preparatório com a Setran e com o Detran (Departamento de Trânsito), além de auxiliarem na orientação do binário das ruas Mateus Leme / Nilo Peçanha, em novembro do ano passado. A longo prazo, mais guardas também serão treinados.

Segundo Vecchi, agentes da Guarda já eram informalmente forçados a fazer orientações no trânsito, mas a falta de autoridade para fazer autuações criava problemas. “Às vezes a Guarda solicitava um agente da Setran em um determinado local, de maneira rápida. Aí em um dia como o domingo, em que o quadro de pessoal é reduzido, o agente só chegava depois de até 4 horas”, afirma Vecchi.

Previous ArticleNext Article