Curitiba amanhece sem ônibus e Urbs cadastra motoristas para transporte de passageiros

Mariana Ohde


Os motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e região aderiram à paralisação nacional contra a reforma da Previdência nesta quarta-feira (15) e cruzaram os braços. Com isso, a capital amanhece sem serviço de transporte coletivo.

O sindicato que representa motoristas e cobradores ainda não informou se a paralisação acontece em todas as linhas. Segundo a assessoria do Sindimoc, a Urbs havia pedido 80% de frota circulando, percentual que os trabalhadores consideraram “fora da realidade”.

Além de motoristas e cobradores de ônibus, outras categorias como professores estaduais e municipais, bancários, metalúrgicos, garis, funcionários da saúde, além de trabalhadores de outros setores, também aderiram à mobilização nacional.

Frota mínina

A Justiça do Trabalho concedeu uma liminar na manhã desta quarta-feira (15) determinando que 50% dos ônibus circulem em Curitiba e região nos horários de pico (entre 05h e 09h e entre 17h e 20h) e 40% no restante do dia nessa quarta-feira (15/03) de paralisação no sistema de transporte coletivo. A multa diária em caso de descumprimento é de R$ 50 mil para o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus.

O Sindimoc ainda não se pronunciou sobre a decisão da Justiça.

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) considerou “abusiva” a greve dos motoristas e cobradores que paralisou 100% do transporte. “O Sindimoc viola a Lei de Greve, causando dano à propriedade, ao furar os pneus dos veículos para impedir a saída da frota. Pior, o abuso do Sindimoc vai afetar sobremaneira o comércio da cidade, já em dificuldades pelo momento econômico vivido pelo país, e, mais grave, prejudicar o dia a dia de milhares de pessoas”, afirmou, por meio de nota.

Cadastro de motoristas

Durante a greve de motoristas e cobradores, a Urbs faz o cadastramento de veículos particulares para o transporte de passageiros. O credenciamento é feito na área de táxis na Rodoferroviária de Curitiba, embaixo do prédio da Urbs. O acesso é liberado por agentes de trânsito de acordo com a identificação do motorista.

O transporte alternativo poderá ser feito com um preço máximo de R$ 6 por pessoa.

Para que os veículos sejam cadastrados, devem estar em boas condições e os que não têm registro na Urbs passarão por uma vistoria dos técnicos da empresa, que também vão conferir a documentação pessoal e do veículo – carteira de motorista, RG e CPF.

Fila para cadastro de motoristas no Centro de Curitiba.
Fila para cadastro de motoristas no Centro de Curitiba.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="419308" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]