Curitiba elimina transmissão de HIV de mãe para filho

Andreza Rossini


A capital paranaense recebe, nesta sexta-feira (1), o título da primeira cidade brasileira a eliminar a transmissão de HIV de mãe para filho. A data foi escolhida devido a celebração do Dia Mundial de Luta contra o HIV/Aids.

O título será oficializado pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros ao prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN) e à secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Segundo a prefeitura, as transmissões foram eliminadas há três anos. A prefeitura considera os dados estatísticos dos últimos três anos e, neste período, apenas um caso foi registrado. Segundo a Secretaria da Saúde, o bebê é acompanhado com oferta de tratamento.

Neste ano, foram registrados 62 casos de grávidas com o vírus.

Nos últimos dez anos, cerca de 400 bebês de mães HIV positivo deixaram de ser contaminados.  A transmissão do HIV de mãe para filho, nos casos em que não há intervenção alguma, chega a 45% dos casos. Entre 2007 e 2016, Curitiba registrou 926 casos de gestantes HIV positivo.

A ação de prevenção é feito em parceria dos programas Rede Mãe Curitibana Vale a Vida e o programa de HIV/Aids.  A linha de cuidado faz o acompanhamento da gestante, impedindo que o vírus seja passado durante a gestação, parto ou aleitamento.

Aids no Brasil

A Aids matou 1 milhão de pessoas no Brasil, só em 2016.

Segundo relatório da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), divulgado nesta quinta-feira (30), a ampliação do acesso a todas as opções de prevenção ao HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) poderia reduzir o número de novos casos do vírus na América Latina e Caribe, que desde 2010 se mantêm em 120 mil por ano.

Paraná

Os casos de AIDS no Paraná aumentaram mais de 160% em um período de três anos. Em 2015 foram notificados 2.400 casos de contaminação pelo vírus HIV no Estado. Em 2012, esse número não chegou a 900. A maior preocupação está entre os jovens. Segundo a Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa), mais de um terço (37,5%) dos novos casos de Aids são diagnosticados em pessoas da faixa etária entre 20 e 29 anos.

Previous ArticleNext Article