Curitiba registra três estupros a cada dois dias

Fernando Garcel


Com informações da BandNews FM Curitiba

Pelo menos três pessoas são vítimas de estupro a cada dois dias em Curitiba, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR). Segundo a pesquisa, entre janeiro de 2014 e maio deste ano, quase 1500 casos de estupro foram registrados na capital paranaense.

De janeiro a maio de 2016, foram registradas duzentas e seis ocorrências, o que equivale a aproximadamente 41 casos por mês. Segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública, no período entre janeiro de 2014 e maio de 2016, as regionais com maior número de vítimas por estupro foram as do Cajuru, que registrou 188 casos, Boa Vista, com 167 ocorrências e a regional Matriz que teve 160 casos registrados.

No período analisado pela pesquisa, o bairro com o maior número de registros é a Cidade Industrial, totalizando 134 estupros. Apenas quatro bairros de Curitiba não registraram casos de estupro, são eles São Miguel, São João, Riviera e Lamenha Pequena.

Um terço dos brasileiros diz que mulher é culpada por estupro

Mais de 33% da população brasileira consideram a vítima culpada pelo estupro. O dado consta de pesquisa feita pela Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), divulgado na quarta-feira (21).

O levantamento mostra ainda que 42% dos homens e 32% das mulheres entrevistados concordam com a afirmação: “mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”, enquanto 63% das mulheres discordam. “O percentual dos que concordam não varia entre homens e mulheres (30%), o que significa que, para um terço dos brasileiros, a mulher que é agredida sexualmente é, de alguma forma, culpada pela agressão sofrida se opta por usar certas peças de roupa”, diz o levantamento.

De acordo com a pesquisa, os graus de concordância variaram mais em função da idade e escolaridade. Os grupos que mais se afastam da média são as pessoas com 60 anos ou mais, com 49% de discordância e, no lado oposto, as pessoas com ensino superior, em que a discordância chegou a 82%.

O levantamento mostra também que 65% da população tem medo de sofrer violência sexual. “O percentual cresce quando desagregamos o dado por sexo, já que 85% das mulheres brasileiras afirmam ter medo ante 46% dos homens”.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="386958" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]