Curitiba tem noite de guerra entre taxistas e ‘ubers’

Roger Pereira

taxista curitiba

Um desentendimento entre taxistas do município de São José dos Pinhais, onde fica localizado o Aeroporto Internacional Afonso Pena, na Região Metropolitana de Curitiba, e motoristas do Uber, no início da noite de sexta-feira, desencadeou uma série de confrontos entre as duas categorias profissionais em diversos pontos da região de Curitiba e necessitou de intervenções da Polícia Militar durante toda a noite de ontem.

A confusão teve início nas imediações do aeroporto, onde um motorista do Uber teve seu carro danificado por taxistas de São José dos Pinhais. Em reação, diversos ‘ubers’ se deslocaram para o aeroporto para tirar satisfação com os taxistas, gerando as primeiras situações de tumulto. Na sequência, taxistas de Curitiba foram ao local “reforçar” o efetivo dos colegas da cidade vizinha no confronto. Dispersados pela polícia, taxistas e motoristas do Uber mantiveram o clima de hostilidade pelas ruas da capital paranaense, com vários casos isolados sendo registrados durante a noite.

Já no retorno para Curitiba, os motoristas credenciados pelo aplicativo e os taxistas voltaram a se confrontar em um posto de gasolina da Avenida Mariano Torres. Segundo testemunhas, taxistas cercaram um carro do Uber, que, para se desvencilhar do cerco, avançou com o carro sobre os táxis e os taxistas que estavam à pé.

A Polícia Militar ainda não tem um balanço de todas as ocorrências envolvendo táxis e ubers na noite de ontem , mas adiantou que foram registrados chamados no Aeroporto Afonso Pena, no centro da cidade e no Batel, onde um carro credenciado no Uber foi virado por taxistas.

A Prefeitura Municipal de Curitiba emitiu nota afirmando que “as situações de agressão e ameaça são ocorrências policiais e devem ser atendidas pela Polícia Militar e apuradas pela Polícia Civil”. Já com relação aos taxistas envolvidos no episódio, a prefeitura explica que os motoristas podem ser denunciados pela conduta diretamente na Urbanização de Curitiba S/A (Urbs) e estão sujeitos às sanções previstas nos contratos, caso seja constatada conduta inadequada. Entre as punições está a perda da autorização para circular, salienta. “Já em relação à atuação do Uber na capital, o transporte de passageiros por motoristas que atendem pelo aplicatico não está regulamentado em Curitiba e é, portanto, uma atividade irregular. As denúncias que chegam à Urbs e Setran são alvo de fiscalização e os motoristas estão sujeitos às sanções previstas no Código de Transito Brasileiro”, diz a nota.

A prefeitura ainda informa que a Setran, Urbs, BPTRAN e Guarda Municipal já fizeram 75 ações integradas para fiscalizar serviço irregular de transporte de passageiros em Curitiba. Foram abordados 370 veículos e 46 motoristas vinculados ao aplicativo Uber foram autuados.

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="368047" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]