Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Dono de empresa de explosivos é solto pela Justiça

Com informações de Ana Krüger da CBN CuritibaO empresário Milton Lino da Silva, dono da empresa Exploplar em Bocaiúva do..

Andreza Rossini - 13 de outubro de 2016, 16:10

Com informações de Ana Krüger da CBN Curitiba

O empresário Milton Lino da Silva, dono da empresa Exploplar em Bocaiúva do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, foi solto na tarde desta quinta-feira (13). A empresa pegou fogo depois que um caminhão com dinamites explodiu na tarde do último sábado (8). Oito pessoas ficaram feridas e pelo menos 160 casas foram parcialmente destruídas.

ANÚNCIO

Silva foi preso em flagrante no dia da explosão. Na segunda feira (10) ele passou por uma audiência de custódia  e a Justiça decretou a prisão preventiva. Após a decisão, a defesa do empresário entrou com um pedido de Habeas Corpus, como explica o advogado Cláudio Dalledone.

"Fundamentalmente a defesa condiciona que ele quer resolver essa condição na medida da possibilidade dele e que ele é tão vítima quanto todas as outras pessoas que foram atingidas por essa explosão. Isso de certa forma sensibilizou e deu um ar de razoabilidade suficiente para que saísse o alvará de soltura", afirmou.

ANÚNCIO

O empresário é acusado dos crimes de explosão, danos contra o ambiente e contra o patrimônio.

O incêndio atingiu os barracões da empresa de explosivos.  De acordo com a Polícia Militar, o fogo atingiu um caminhão carregado com carga explosiva que estava estacionado no pátio da empresa. Pouco depois houve uma explosão. O barracão fica na BR-476, na altura do KM 98.

Em nota divulgada à imprensa, a empresa responsável pelos explosivos em Bocaiúva do Sul se diz vítima de um crime praticado por terceiros. O texto informa ainda que a empresa confia plenamente nas autoridades constituídas e acredita que em pouco tempo este crime será desvelado.

Área já é segura 

Uma equipe do Exército participou na segunda-feira (10) à tarde de um trabalho para incinerar parte do material que sobrou. Foram incinerados materiais utilizados para detonar as dinamites.

O material explosivo restante, que seriam 60 toneladas de dinamites, serão recondicionados pela empresa responsável.

De acordo com o Exército, a empresa é registrada e está autorizada a armazenar até 200 toneladas de explosivos.

Resposta da empresa

Por meio de nota, a Explopar afirma que tem certeza de que a explosão foi resultado de uma ação criminosa. A nota afirma que a empresa está estabelecida há mais de 22 anos no município e que sempre cumpriu com as obrigações exigidas pelas autoridades competentes. O comunicado afirma que a empresa tem todos os alvarás e licenças necessárias para o funcionamento.

Confira a nota na íntegra:

A empresa Explopar está estabelecida há mais de 22 anos em Bocaiuva do Sul e sempre cumpriu rigorosamente com todas as obrigações exigidas pelas autoridades competentes.

A Explopar possui todos os alvarás e licenças necessárias para o regular funcionamento e tem absoluta convicção de que a explosão ocorrida na tarde de ontem foi provocada por ação criminosa praticada por terceiro.

A empresa confia plenamente nas autoridades constituídas e acredita que em pouco tempo este crime será desvelado.

A Explopar se solidariza com aqueles que também foram vítimas e garante que se esforçará ao máximo para minimizar os danos causados em decorrência da explosão.