Estado vai repassar R$ 4,7 milhões a hospitais de Curitiba

Mariana Ohde


O governo do Paraná vai repassar R$ 4,7 milhões para auxiliar no custeio de dez hospitais de Curitiba. A medida foi anunciada nesta terça-feira (6) pelo secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto. A liberação deve acontecer ainda nesta semana e vai aliviar o caixa de instituições como o Hospital Evangélico de Curitiba, que enfrenta graves dificuldades financeiras.

“Trata-se de recursos extras para socorrer essas unidades tão importantes para a rede pública de saúde”, explicou o secretário. Os incentivos financeiros são referentes a políticas implantadas pelo Governo do Estado, como o incremento no teto financeiro de média e alta complexidade; o programa HospSUS, de qualificação dos hospitais públicos e filantrópicos; e o pagamento de diárias de leitos de UTI neonatal.

Além do Evangélico, também serão contempladas mais nove unidades de referência: Hospital de Clínicas, pertencente à Universidade Federal do Paraná, os hospitais do Trabalhador, Erasto Gaertner, Santa Casa de Curitiba, Cajuru, Zilda Arns, Cruz Vermelha, Pequeno Príncipe e São Vicente.

Atendimento

Segundo Caputo Neto, o objetivo é ampliar a oferta de consultas, exames, cirurgias e internações nos serviços de saúde da capital. “Somente nesta linha de incentivo, já repassamos mais de R$ 15,3 milhões aos hospitais de Curitiba. Até junho do ano que vem, vamos aplicar mais R$ 21,4 milhões nesta iniciativa”, detalha.

Para o secretário da Saúde de Curitiba, César Titton, a programação de pagamentos apresentada pelo Estado vai ajudar a manter a rede assistencial em funcionamento. “Este apoio será essencial para que a prefeitura possa cumprir os compromissos com os prestadores neste final de gestão”, revelou.

Hospital Evangélico

Em situação mais delicada, o Hospital Evangélico deve receber a maior parte dos recursos liberados. Serão R$ 2,6 milhões para cobrir o pagamento de fornecedores e outras despesas de custeio.

De acordo com o interventor do Evangélico, Carlos Alberto Miguez da Senna Motta, por diversas vezes o hospital já teve que suspender o atendimento de urgência por causa de falta de materiais e insumos. “Este socorro virá em boa hora. O momento é difícil. Não conseguimos pagar a primeira parcela do 13º dos funcionários, temos dívidas com fornecedores e precisamos deste tipo de ajuda para não fechar o hospital”, declarou.

Atualmente, o Hospital Evangélico de Curitiba conta com 434 leitos gerais, sendo 373 disponíveis à rede pública de saúde. Ao todo, são 35 leitos de UTI adulto e mais 25 de UTI neonatal, para assistência a recém-nascidos. Além disso, a unidade é uma das principais referências de atendimento em urgência e emergência, gestação de alto risco e área de queimados. O hospital chegou a declarar que não tinha condições de manter os serviços nesta semana.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="401925" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]