Família diz ter rodado por sete delegacias para acusar racismo em ônibus

Narley Resende


Metro Jornal Curitiba

Uma adolescente de 15 anos depõe na manhã desta quarta-feira (22) à polícia sobre uma injúria racial sofrida na tarde da última sexta dentro de um ônibus Interbairros IV nas proximidades no bairro Cidade Industrial de Curitiba.

O veículo havia saído do terminal do Fazendinha e ia em direção ao terminal do Pinheirinho. A irmã da jovem relatou, pelo Facebook, que a garota estava com amigos no ônibus quando um passageiro a insultou, tentou agredi-la e, ao ser impedido pelos amigos da vítima, cuspiu no rosto dela. O suspeito estaria com um uniforme de trabalho e calças de cor bege.

denunciaDesde o dia do ocorrido, segundo ela, a família passou por sete delegacias: Ciac Sul, Nucria, 13° DP, Delegacia do Adolescente, 8° DP – onde fica o Ciac Sul -, Delegacia de Homicídios e 11° DP, sem conseguir entregar as provas do crime. Ela diz ter fotos e um vídeo que podem identificar o agressor. “Só depois que a imprensa publicou é que se abriram. Dói saber que só fazendo um fervo a gente resolve as coisas”, diz a irmã, que também acionou o Ministério Público.

“O lamentável é que eles negaram atendimento, a gente fez uma via sacra, Hoje [ontem] foi o primeiro dia que ela não acordou chorando. Eu não sei o que é pior: a agressão ou a humilhação na hora de denunciar”, reclama.

A Polícia Civil afirma, em nota, que um BO foi registrado no Nucria, que também abriu um procedimento interno “para verificar por que não foi registrado na delegacia [o Ciac Sul], sendo que qualquer delegada pode registrar um BO por injúria racial.

 

Previous ArticleNext Article