“Foi um sucesso”, avalia Beto Richa sobre confronto entre servidores e PM

Francielly Azevedo


Por CBN Curitiba

O confronto entre policiais e manifestantes foi comentado pelo Governador Beto Richa em um evento oficial no Palácio Iguaçu, quando foram entregues novas viaturas as polícias civil e militar.

Na avaliação de Richa, a atuação da polícia militar na ação desta segunda feira (26) foi um sucesso e garantiu a segurança de todos.

“Na avaliação que me foi passada, os números que nós temos acompanhado, foi sim um sucesso. Garantiu a proteção do legislativo, dos representantes que são os vereadores, independentemente de qual é a posição dos vereadores, se a favor ou contra o projeto de ajuste do prefeito de Curitiba. Foram preservadas as suas integridades e o funcionamento de uma instituição democrática, que é a Câmara Municipal. E também a integridade dos manifestantes”, avaliou.

De acordo com o levantamento do Comando de Greve dos servidores municipais, 37 manifestantes ficaram feridos. Entre os casos mais graves estão uma mulher que sofreu uma fratura no crânio ao ser atingida por um cassetete e um homem que teve a perna perfurada por uma balada de borracha.

Já o balanço da Secretaria de Estado de Segurança Pública contabilizou 24 feridos. 10 manifestantes e 14 policiais. O caso mais grave foi o de um policial que teve o maxilar fraturado ao ser atingido por um paralelepípedo.

Ainda segundo o governador, os policiais mantiveram a calma e não revidaram as provocações dos manifestantes.

“O que é uma afronta à democracia é o desrespeito dos manifestantes, que não respeitaram o local adequado para fazer a sua manifestação. Esperávamos que fosse pacifica e ordeira, quando começaram a agredir os policiais. [Os policiais] mantiveram a calma, foram pacientes e não revidaram as agressões. Teve policiais que foram chutados no chão. Está na hora, de uma vez por todas, de nós respeitarmos a democracia. Respeitamos as manifestações, mas têm que ser ordeiras e pacíficas”, ressaltou.

Mínimo de força

O secretário de estado de segurança pública, Wagner Mesquita, também comentou a ação desta segunda feira. Ele defendeu que os manifestantes não permaneceram no local previamente combinado, mesmo assim, a polícia teria feito apenas o necessário para controlar a situação.

“A polícia está cumprindo seu dever constitucional, garantindo a execução de uma ordem judicial e o funcionamento de um poder constituído. O planejamento foi feito de uma forma que atendesse todos os pleitos, inclusive o dos manifestantes. Havia um local determinado para eles ficarem, a Pedreira comporta mais de 20 mil pessoas adequadamente e com segurança. Eles optaram por fazer o enfrentamento, mais uma vez. Então, a polícia reagiu usando o mínimo da força, só o necessário para conter e garantir o funcionamento da sessão”, destacou.

Questionado se houve excesso de força policial, o secretário disse que não.

“De forma alguma, nós temos mais feridos policias do que manifestantes, inclusive”, afirmou.

Nas redes sociais, servidores, políticos e manifestantes compararam o confronto desta segunda feira com o episódio do dia 29 de abril de 2015. Aquele confronto deixou cerca de 200 pessoas feridas e ocorreu enquanto a Assembleia Legislativa do Paraná votava mudanças na previdência dos servidores estaduais.

 

 

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="439576" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]