Greve prejudica atendimento no HC

Narley Resende


Serviços de atendimento ao público em ambulatórios e demais setores administrativos do Hospital de Clínicas de Curitiba estão prejudicados nesta segunda-feira (6), primeiro dia da greve dos funcionários da Fundação Universidade Federal do Paraná (Funpar) aprovada na semana passada em assembleia da categoria.

A proposta de reajuste de 5,2%, abaixo da projeção da inflação, levou os funcionários da Fundação da UFPR a aprovarem a greve por unanimidade em assembleia na quinta-feira (02). A Funpar reúne aproximadamente 600 funcionários do HC. O Sinditest, que representa os trabalhadores, afirma que a adesão à greve é de 70%. Segundo o hospital, são 250 funcionários parados na manhã desta segunda.

O HC afirma que enfrenta uma crise financeira e não tem condições de atender às reivindicações do sindicato. O coordenador-geral do Sinditest, José Carlos Assis, afirma que essa é a terceira vez que os trabalhadores da Funpar precisam entrar em greve neste ano.

Embora ainda não tenham sido divulgados os números oficiais da inflação de maio deste ano, a projeção do Dieese é que a soma dos últimos 12 meses fique em 9,97%.

Com a greve por tempo indeterminado, devem ser prejudicados no HC principalmente serviços administrativos e de atendimento ao público.

“Nessa greve da Funpar temos trabalhadores de todas as áreas. Mas a principal área que vai ficar prejudicada é a administrativa, no ambulatórios, para o pessoal que vem para consulta, agendamento, todos que fazem marcação da consulta são da Funpar. Tem o setor de enfermagem (que também pode ser prejudicado), mas não tem tanto efeito porque tem outras trabalhadores (geridos pela Ebserh, que não estão em greve)”, afirma.

Entre os setores com atendimento prejudicado está o de radiologia, central de agendamento de consulta, esterilização de materiais, internação de pacientes. secretarias de ambulatorial, financeiro, entre outros.

Crise financeira

Por meio de nota, a assessoria informou que o Hospital de Clínicas está enfrentando uma grave crise financeira que tem afetado o abastecimento de insumos da instituição. O hospital afirma que não possui condições financeiras de atender à proposta de aumento solicitada pelo Sinditest.

A nota afirma também que ao longo dos anos “foram firmados os melhores acordos coletivos para os trabalhadores, com a reposição de salários pelo INPC, que abrangeu também o vale-alimentação, o auxílio-creche e o adicional de insalubridade”. O HC afirma que está verificando um plano de contingência para depois de avaliar a adesão dos trabalhadores da Funpar à paralisação.

Nota do HC: 

“O Complexo Hospital de Clínicas da UFPR informa:

A greve dos funcionários da FUNPAR que atuam no Hospital de Clínicas teve uma adesão aproximada até este momento de 130 funcionários, do total de 851 funcionários que compõe este quadro.

Os serviços afetados e os principais impactos até agora foram:

– Central de Agendamento (agendamento de exames e consultas) – atendendo apenas pacientes de fora de Curitiba.

–  Ambulatórios (atendimento de consultas eletivas) – atendendo apenas pacientes de fora de Curitiba.

– Unidade de Processamento de Materiais – (que fornece materiais para cirurgias) caso a adesão continue até o final da tarde, o Centro Cirúrgico passará a realizar somente cirurgias de emergência.

– BIOBANCO (Banco de Sangue) – atendimento suspenso.

– Exames – adesão parcial, demora no atendimento.

O Hospital de Clínicas informa aos pacientes de Curitiba que possuíam consultas agendadas e que não foram atendidos:

Pacientes com 1ª consulta agendada pela Unidade de Saúde – devem se dirigir ao HC, após o término da greve para um novo agendamento.

Pacientes que já são atendidos pelo HC – aguardar contato telefônico do hospital que informará nova data de consultas.

As consultas prejudicadas serão agendadas como extras pelo Hospital, após o término da greve.  

O plano de contingência montado está garantindo o atendimento dos pacientes que são de fora de Curitiba.

 O Complexo HC reafirma informações que constaram em nota anterior que, como já é de notório conhecimento, está enfrentando uma grave crise financeira que tem afetado o abastecimento de insumos do Hospital de Clínicas. Sendo assim, neste momento, não possui condições financeiras de atender à proposta de aumento solicitada pelo SINDITEST.

 Lembra que, historicamente, em respeito à categoria, sempre lutou, juntamente com a reitoria da UFPR, e obteve a garantia do emprego dos trabalhadores CHC/Funpar. Além disso, nos últimos anos, foram firmados os melhores acordos coletivos para os trabalhadores, com a reposição dos seus salários pelo INPC, que abrangeu também o vale-alimentação, o auxílio-creche e o adicional de insalubridade. “

Previous ArticleNext Article