Grupo marca ‘Balada Protegida’ em frente à casa de Greca após ação polêmica

Fernando Garcel


A primeira ação da operação ‘Balada Protegida’, da prefeitura de Curitiba, fechou cinco estabelecimentos e deteve quatro pessoas na noite de quinta-feira (12). A ação, que contou com apoio das Polícia Militar e Polícia Civil, aconteceu na Avenida Vicente Machado, mesma rua em que mora o prefeito Rafael Greca, e causou revolta de frequentadores. Como forma de protesto, um ato foi marcado para acontecer nesta sexta-feira (13) entre 18h e 00h em frente a casa do prefeito.

> Greca esvazia bares da rua onde mora

Capturar

Até o momento, mais de três mil pessoas confirmaram presença no evento.

Entre os motivos de reclamação está o fato da interdição do James Bar, onde aconteceria um evento beneficente com parte do lucro para o projeto da Organização Não-Governamental (ONG) Teto Brasil. A organização social trabalha pela defesa de pessoas que vivem em favelas. “Greca fechou nossa festa beneficente”, reclamou Virgínia Bastos, frequentadora do local.

> Voluntários constroem 20 moradias de emergência em Curitiba

A festa foi transferida para outro bar próximo. Pelas redes sociais, o James Bar declarou que foi prejudicado por uma questão burocrática relacionada ao imóvel e que não teria controle sobre tal. “Nos 18 anos em que estamos abertos, sempre estivemos e continuamos com todas as licenças em dia (Bombeiros, Meio Ambiente, Polícia Civil e Vigilância Sanitária) e prezamos sempre pela diversão e segurança — distribuímos água, temos segurança amigo, fazemos curso contra incêndio junto com os bombeiros, entre outras ações. O que nos prejudicou foi uma questão burocrática relacionada ao imóvel e que foge da nossa responsabilidade e controle. Tal problema já está sendo resolvido pelo proprietário do terreno”, declarou.

A prefeitura informou que após a regularização dos alvarás, os cinco bares fechados voltarão a funcionar. O prazo para reabertura pode variar entre 48 horas até 15 dias, dependendo de cada situação. A operação também teve 17 autuações administrativas e 20 autos de infração de trânsito.

Pelo Facebook, Greca negou que a operação tenha sido realizada neste local devido à proximidade com a sua residência. O prefeito afirmou que o ato não é contra “os jovens nem contra os bares”. Disse ainda que não se incomoda com “baladas”, mas com “tiros e vítimas fatais nas esquinas, assim como com cigarros e bebidas falsificadas”. “Nossa Secretaria de Defesa Social com Guarda Municipal × PM/PolíciaCivil agem para garantir a vida e o divertimento sadio da mocidade curitibana. Quem é do bem não tem nada a temer. A ideia é combater os mercadores do mal,das drogas, das bebidas falsificadas, geradores de morte”, declarou.

No Facebook, as declarações de Greca se transformaram em piadas. “Enfim um evento livre de fuzarca e demais transgressões, para o jovem belo, recatado e do lar. Praticamente uma balada em forma de poesia, onde o jovem é soneto até a meia noite. Depois é só sono mesmo”, declarou Maicon Silva. “Teremos também uma barraca com correio elegante para a mocidade poder flertar com o broto desejado, ressaltando que beijos na boca não serão permitidos pois causam sapinho”, brincou Priscilla Rodrigues.

Capturar

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="408547" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]