Guarda Municipal faz 200 prisões e apreensões em oito meses em Curitiba

Andreza Rossini e Assessoria


Um balanço divulgado pela Guarda Municipal aponta que as prisões e apreensões efetuas pela corporação, de janeiro a agosto deste ano, são de aproximadamente 200 ocorrências.

Os principais motivos das prisões e apreensões foram a repressão ao porte, uso e tráfico de drogas que levou 79 pessoas para a delegacia. Na sequência estão os flagrantes relacionados a roubo, com 28 prisões e apreensões. Os agentes também atuaram em crimes de dano, furto, agressão, ameaça, porte ilegal de arma de fogo, assédio sexual, atos obscenos, perturbação ao sossego e apreensão de moeda falsa.

Somente no mês de agosto, foram 43 prisões e apreensões no centro, realizadas pela GM. No mês anterior, outras 30, aumentando a média mensal, que no início do ano era de cerca de 20.

“Quase todos os dias os guardas fazem, ao menos, uma prisão no Centro de Curitiba, a partir das abordagens a suspeitos”, destaca o diretor da Guarda Municipal, Odgar Nunes Cardoso.

As rondas são realizadas por equipes a pé, com motos e viaturas, além de módulos fixos e móveis.

Em julho, pontos centrais da cidade como o Passeio Público, a Praça Tiradentes, a Praça Osório, o Centro Histórico e a Rua XV de Novembro passaram a contar com guardas presentes de forma fixa, 24 horas por dia.

As praças da região central, concentram 75 flagrantes do total de 201 desde o início do ano. A maior parte delas nas praças Carlos Gomes (22 flagrantes) e Tiradentes (19). Na sequência aparecem praças Osório (11), Eufrásio Correia (9), Rui Barbosa (8) e Generoso Marques (6).

Previous ArticleNext Article