Imagens de balada mostram motorista que fugiu após acidente com 5 mortes

Narley Resende


Douglas Henriques Costa Gomes, de 21 anos, motorista que fugiu após um acidente que deixou cinco mortos e um ferido no domingo (5), em Curitiba, aparece em imagens de câmeras de segurança no momento em que pagava a conta para sair de uma casa noturna, em Pinhais, na região metropolitana, por volta das 4h30 de domingo (5).

O vídeo foi gravado 40 minutos antes de o rapaz se envolver na tragédia. As imagens divulgadas pela polícia nesta terça-feira (7) também mostram Gomes com uma garrafa na mão (veja abaixo).

Gomes se apresentou à polícia e prestou depoimento na manhã desta terça-feira, na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) e disse que não consumiu bebida alcoólica naquela noite e que não estava embriagado no momento do acidente.

A consumação dele e dos três amigos, incluindo dois que morreram no acidente, foi entregue à polícia pela casa noturna. O documento indica que o grupo consumiu ao menos uma garrafa de vodka, segundo o delegado Anderson Franco.

“Ele afirmou que teria adquirido a bebida alcoólica na comanda dele, mas que os amigos que teriam consumido. Um dos amigos confirmou que ele [Douglas] também ingeriu bebidas alcoólicas. Nós temos duas testemunhas e as imagens da casa noturna que vão confirmar uma das versões”, disse o delegado.

[insertmedia id=”OUwu8dIrqAQ”]

[insertmedia id=”IdJVVW2ce-E”]

Arrependimento

Segundo Franco, o motorista chorou e demonstrou arrependimento durante o depoimento. “Disse que fugiu porque estava transtornado, que, na versão dele, conseguiu salvar um amigo, pegou um táxi e saiu do local, foi para casa dele, pegou uma mala e foi para a casa de um amigo”.

Ainda segundo a polícia, Douglas alegou que problemas na pista causaram o acidente. “Falou que estava entre 70 km/h e 80 km/h e que havia uma deformação na pista, o que o teria levado a bater na mureta e invadir a pista contrária”. A polícia indica que o motorista estaria dirigindo a 150 km/h no momento do acidente.

De acordo com o delegado, a polícia pode pedir a prisão preventiva do motorista. “Ele não ficou preso porque o caso ocorreu há dois dias, aplicando-se a lei não cabe prisão em flagrante”.

Cerca de dez pessoas já prestaram depoimento. Uma amiga da família afirmou que, ao chegar em casa após o acidente, o rapaz estava bêbado e “transtornado”. “Quando ele chegou, estava transtornado, se sente culpado. Havia amigos dele no veículo. Quando ele chegou, já transtornado informando acerca do acidente para essa amiga, ela ligou para a mãe. Ele conversou por telefone com a mãe só. Quando ela chegou, ele fugiu, segundo os relatos, né? Mas ela pode estar encobrindo ele”, conta o delegado.

Segundo a polícia, os quatro amigos saíram de uma casa noturna, onde haviam bebido uma garrafa de vodka. A boate cedeu imagens de câmeras de segurança e as comandas de consumação dos quatro rapazes para análise da polícia. Após sair do local, Douglas dirigia a 150 km/h na Linha Verde, onde a velocidade máxima é de 70 km/h. Em 30 dias, o laudo da criminalística deve apontar a velocidade exata do veículo.

Acidente

Douglas Gomes e os três amigos estavam em um Citroen Picasso, que seguia no sentido Fazenda Rio Grande da Linha Verde. Gomes perdeu o controle do veículo, que cruzou a pista e capotou várias vezes até atingir o outro veículo que seguia no sentido contrário. Os dois carros pegaram fogo, matando cinco ocupantes carbonizados.

Junto com Douglas Gomes, que dirigia o carro, estavam Douglas Eduardo da Silva de Miranda, de 20 anos; e Lucas Batista dos Santos, de 24 anos. Os dois morreram no acidente. O sobrevivente que ficou ferido é João Paulo Jacques Marques, de 18 anos, que foi encaminhado pelo Siate ao Hospital Evangélico.

No outro veículo estavam José Aparecido Gomes dos Reis, 46 anos; Douglas dos Santos, de 23 anos; e Gabriel Cardoso de Lima, de 20 anos. Os três morreram carbonizados. Eles eram funcionários de terceiro turno da empresa Alfa Transportes, que fica no bairro Campo do Santana, a alguns quilômetros do local do acidente.

Sem flagrante

Douglas Gomes, tido pela polícia como causador do acidente, não será mais autuado em flagrante porque fugiu do local. O delegado Anderson Franco afirma já ter elementos para um inquérito com a acusação de homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

Douglas Gomes estava habilitado e não havia irregularidades constatadas no veículo.

Previous ArticleNext Article