Justiça deve decidir hoje se suspende peça Porno Gospel

Narley Resende


O Conselho de Ministros Evangélicos do Paraná ajuizou nessa quinta-feira (02) à tarde uma Ação Civil Pública contra os produtores da Peça Teatral Porno Gospel, em cartaz no Mini Auditório do Teatro Guaíra, em Curitiba, por ofensa à dignidade religiosa.

A ação é baseada na Lei de danos morais, que prevê em um dos artigos a punição à ofensa a dignidade da honra de grupos religiosos. O Conselho pede a suspensão da apresentação da peça teatral Porno Gospel para que cesse o que chama de ofensa aos grupos religiosos cristãos da cidade. Segundo o produtor da peça, Fernando Cardoso, o espetáculo vai continuar.

Com a repercussão, após críticas no segmento evangélico da sociedade, com moções de repúdio propostas por políticos na Câmara de Curitiba e Assembleia Legislativa, assim como a ação movida pelo Conselho Evangélico, trouxeram ainda mais exposição para a peça. Segundo o produtor, essas manifestações têm dois lados.

Na segunda-feira, o diretor do Conselho de Ministros Evangélicos do Paraná, pastor Thiago Ferro, disse que a associação do termo Gospel, que se refere as boas novas do Evangelho, com pornografia ofende a honra daqueles que professam a fé ao evangelho.  Segundo ele, é natural que o assunto tenha ganhado destaque.

Conselho de Ministros Evangélicos do Paraná espera que nesta sexta-feira (03) a Justiça decida se suspende a realização da peça total ou parcialmente.

A Câmara de Curitiba e a Assembleia Legislativa devem votar na semana que vem as moções de repúdio, que na prática apenas registram a posição dos parlamentares.

Previous ArticleNext Article