Justiça manda Estado cercar área de acampamento pró-Lula

Roger Pereira


Uma decisão da 1ª Vara Federal de Curitiba publicada na tarde desta terça-feira (9) concedeu reintegração de posse de parte do terreno utilizado como acampamento a manifestantes favoráveis ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Curitiba. O pedido foi feito pela Rumo, concessionária das malhas da extinta Rede Ferroviária Federal no Paraná, a quem pertence parte da área ocupada, e terá validade a partir desta quinta-feira (11).

Como não há uma delimitação física entre a parte que pertence à União e a que corresponde ao local da concessionária, o juiz pede que uma cerca seja instalada temporariamente para estabelecer o limite da ocupação. “Os manifestantes ao ocuparem o lote extrapolaram a zona acordada”, afirma o juiz federal. “Entendo que a forma mais prudente de acolhimento do pleito inicial é a instalação temporária de cerca física que delimite as duas áreas com a retirada dos manifestantes e seus pertences do espaço sensível a continuidade das atividades da autora. Os manifestantes poderão permanecer na área da União, delimitada nos autos deste processo, até a manhã da quinta-feira, dia 11 de maio de 2017, conforme avençado nas tratativas”, escreve o juiz.

O ponto maior de preocupação da dona do terreno, segundo a sentença é “a própria segurança dos manifestantes, dentre os quais há crianças, considerando que se trata de área em que os trens fazem manobras e outras operações de execução essencialmente perigosa e que exigem atenção diversificada”. A empresa afirma que não é possível prever quando ocorrerão as operações.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="430139" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]