Lei que libera Uber deve ter resposta em um mês

Narley Resende


Thiago Machado, Metro Jornal Curitiba

A Urbs se comprometeu a entregar dentro de um mês seu parecer sobre o projeto de lei que regulamenta o Uber e outros aplicativos em Curitiba. O texto, assinado por 17 vereadores, foi enviado à prefeitura por decisão da Comissão de Serviço Público.

O diretor de transportes da Urbs, Daniel Andreatta, explica que ainda não avaliou o projeto a fundo, mas adianta que, entre outras coisas, o parecer vai levar em conta a demanda pelo aplicativo.

“Primeiro nós temos que estudar legalmente para determinar se essa regulamentação será feita. Depois temos que estudar se a regulamentação tem que ser feita sem nenhum tipo de limitação, ou se devemos fazer um estudo para a limitação”, explica.

Andreatta diz que a atual procura dos clientes pelo Uber em Curitiba já é, sim, um indicativo de que há demanda pelo serviço, mas pondera que mais estudos são necessários.

Com a análise da demanda pela Urbs, um dos autores do projeto, o vereador Jonny Stica (PDT), já teme que o parecer possa sugerir um limite para placas do Uber, assim como há para os táxis.

“A sociedade clama por mobilidade e essa demanda tem que ser a dos chamados de pessoas, e não de uma reserva de mercado. Não pode limitar o número de placas”, diz.

Andreatta garante, no entanto, que não há nenhuma definição sobre restringir ou não o número de Ubers em Curitiba.

Tramitação

Na próxima semana a Câmara entra em recesso e por isso o projeto só volta a ser avaliado em agosto. O texto ainda passará por mais comissões antes de poder ser votado.

Não há definição que quando a lei possa ser votada, embora Stica afirme que ela deva ir plenário neste ano. “É urna pauta que a Câmara tem que enfrentar”, afirma.

Para ser aprovada a lei precisará de 20 votos, sendo que 17 vereadores já assinaram o texto como autores.

Chamadas vêm a cada 15 minutos

Os motoristas do Uber recebem em média uma chamada a cada 15 minutos quando estão online em Curitiba. Pelo aplicativo eles também têm acesso aos índices do ‘multiplicador’, que aumenta os preços e toma as corridas mais atrativas.

A empresa recentemente também aumentou de R$ 400 para R$ 800 o prêmio para quem trouxer mais pessoas ao aplicativo. Segundo um dos motoristas, que prefere não se identificar, o serviço tem boa procura, mas financeiramente só vale a pena quando há multiplicador.

Previous ArticleNext Article