Motorista que fugiu após acidente com 5 mortes estava transtornado, diz testemunha à polícia

Narley Resende


Douglas Henriques Costa Gomes, de 21 anos, motorista que fugiu após um acidente que deixou cinco mortos e um ferido no domingo (5), na BR-476, em Curitiba, ainda não se apresentou à polícia.

Foram ouvidas nesta segunda-feira (6) três testemunhas relacionadas ao rapaz: a mãe dele, o proprietário documental do carro que ele dirigia e uma pessoa que viu a chegada do rapaz em casa após o acidente.

O delegado Anderson Franco, da Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (Dedetran), afirma que um advogado entrou em contato para dizer que o rapaz se apresentaria nesta segunda-feira (6), o que não aconteceu.

A mãe do rapaz contou ao delegado que não estava em casa quando Douglas chegou na manhã do acidente.

“Transtornado”

Quem estava em casa era uma amiga que cuidava de uma criança. Essa testemunha teria confirmado que o rapaz estava bêbado e “transtornado” após o acidente.

“Quando ele chegou, estava transtornado, se sente culpado. Havia amigos dele no veículo. Quando ele chegou, já transtornado informando acerca do acidente para essa amiga, ela ligou para a mãe. Ele conversou por telefone com a mãe só. Quando ela chegou, ele fugiu, segundo os relatos, né? Mas ela pode estar encobrindo ele”, conta o delegado.

Segundo a polícia, os quatro amigos saíram de uma casa noturna, onde haviam bebido uma garrafa de vodka e o motorista saiu em alta velocidade pela Linha Verde. Em 30 dias o laudo da criminalística deve apontar a velocidade exata do veículo.

A boate cedeu imagens de câmeras de segurança e as comandas de consumação dos quatro rapazes para análise da polícia. Eles chegaram na casa noturna por volta de 1h e saíram às 5h30.

Acidente

Douglas Gomes e os três amigos estavam em um Citroen Picasso, que seguia no sentido Fazenda Rio Grande da Linha Verde. Gomes perdeu o controle do veículo que cruzou a pista, ‘rampou’ e capotou várias vezes até atingir o outro veículo – um Ford Corcel – que seguia no sentido contrário. O Citroen parou em cima do Corcel.

Os dois carros pegaram fogo, matando cinco ocupantes carbonizados. Junto com Douglas Gomes, que dirigia o carro, estavam Douglas Eduardo da Silva de Miranda, de 20 anos; e Lucas Batista dos Santos, de 24 anos. Os dois morreram no acidente.

O sobrevivente do Citroen, que ficou ferido, é João Paulo Jacques Marques, de 18 anos, que foi encaminhado pelo Siate ao Hospital Evangélico.

No Corcel que vinha no sentido contrário estavam José Aparecido Gomes dos Reis, 46 anos; Douglas dos Santos, de 23 anos; e Gabriel Cardoso de Lima, de 20 anos. Os três morreram carbonizados. Ambos eram funcionários de terceiro turno da empresa Alfa Transportes, que fica no bairro Campo do Santana, a alguns quilômetros do local do acidente.

Irmã de José Aparecido, Maria Lúcia dos Reis da Silva afirma que a família está desesperada. “Estava trabalhando. Ele chegava em casa todos os dias 7h30, 7 horas da manhã, daí nesse dia ele não chegou. Minha cunhada (esposa de José) foi pela rua procurar ele. Ligou para minha irmã. Foi que ligaram na TV, às 8 horas da manhã, e estava passando uma reportagem. Passou tudo, o carro queimando… Inclusive os vizinhos lá de perto dizendo que tinha bastante gente lá, e estavam gritando ‘socorro’. Todo mundo trabalhava junto, eram amigos dele”, lamenta.

Prisão

Douglas Gomes, tido pela polícia como causador do acidente, não será mais autuado em flagrante porque fugiu do local. Caso o motorista não se apresente, é certo que a Polícia Civil apresente um pedido de prisão preventiva contra ele, segundo o delegado Anderson Franco.

Franco afirma já ter elementos para um inquérito com a acusação de homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. Douglas Gomes estava habilitado e não havia irregularidades constatadas no veículo.

 

Previous ArticleNext Article