MST ocupa Superintendência do Incra em Curitiba

Fernando Garcel


Cerca de mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), de várias regiões do Paraná, protestaram contra o governo do presidente interino Michel Temer, em Curitiba, nesta quarta-feira (8). Eles ocuparam a sede da Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Paraná e afirmam que vão ficar lá por tempo indeterminado.

Entre as pautas da mobilização está o fechamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), responsável pelo desenvolvimento das políticas públicas voltadas para a agricultura familiar e a população camponesa, e a anulação dos decretos de desapropriação de fazendas improdutivas destinadas à reforma agrária, bem como dos últimos decretos que objetivavam legalizar áreas quilombolas, pertencentes há séculos às comunidades negras.

No texto da pauta de mobilização, os manifestantes também protestam contra as mudanças na previdência e programas sociais como “Farmácia Popular”, ” Mais Médico” e Sistema Único de Sáude (SUS). “Anunciaram que vão mudar a aposentadoria, impondo a idade mínima de 65 anos para todos os homens e mulheres, quando em muitas regiões do meio rural, o tempo médio de vida não chega a isso”, diz o MST.

O protesto é ligado à “Mobilização Nacional do Campo e da Cidade”, que começou durante a madrugada. Na manhã desta quarta-feira, cerca de 500 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparam a fachada da Prefeitura de Curitiba e devem continuar no local até serem recebidos pelo prefeito Gustavo Fruet (PDT).

Previous ArticleNext Article