“Não vou deixar nenhuma surpresa, nenhuma bomba relógio”, diz Fruet

Fernando Garcel


Narley Resende e Fernando Garcel

O prefeito eleito, Rafael Greca (PMN), e o atual, Gustavo Fruet (PDT), participaram, na manhã desta quinta-feira (3), da primeira reunião para tratar de assuntos relacionados a transição de governo. No encontro, Fruet fez um resumo das condições financeiras do município, do orçamento dos projetos em andamento e fez críticas ao governo do estado pelo anúncio da reintegração do transporte coletivo um dia após o resultado do segundo turno.

De acordo com o atual prefeito, Curitiba tem projetos em andamento com valores de superiores a R$ 3,9 bilhões. “Alguns estão em andamento, alguns em andamento com atraso de repasse de recursos e alguns dependendo de autorização do governo federal para lançamento de edital”, disse. Fruet também alertou sobre a realidade da Urbs, empresa responsável pelo sistema de transporte coletivo da capital, com o fim do subsidio do governo do estado no ano passado.

Gustavo Fruet também discursou sobre o orçamento da prefeitura. Segundo ele, o novo gestor terá que ser rigoroso para não estourar as contas. “Nos próximos meses a prefeitura terá que ser muito rigorosa. Se for colocar em prática o que foi prometido, estoura as contas. Propostas que foram feitas no processo eleitoral não se fazem sem muito dinheiro no ano que vem”, declarou.

De acordo com Greca, o pedido para suspender a tramitação da licitação do lixo precisa de melhor planejamento estratégico e uma decisão à longo prazo. A suspensão também atende a Lei de Responsabilidade Fiscal que determina a suspensão de projetos no final da gestão. “É meu entendimento que o processo estratégico dessa envergadura, como o destino dos resíduos sólidos, deva ser uma decisão à longo prazo e não no apagar das luzes da gestão. Nesse sentido eu pedi e o prefeito Gustavo Fruet aquiesceu”, declarou.

Entre as primeiras medidas, Greca declarou que a Saúde terá prioridade. “Eu não prometi zerar a fila de especialidade por que sei que isso nunca zera. O que nós vamos fazer é dar efetividade para o sistema de saúde com mutirões de especialidades e exames. Vamos trabalhar fortemente tenham equipes completas e resolutividade. Se o dinheiro federal atrasar nós vamos colocar dinheiro do próprio tesouro municipal”, disse.

Impasse do transporte público

Uma reunião entre o governador Beto Richa (PSDB) e Rafael Greca está marcada para acontecer no Palácio Iguaçu para discutir o subsídio da integração do transporte público de Curitiba e região metropolitana. O assunto foi alvo de críticas do atual prefeito Gustavo Fruet após a reunião desta manhã. De acordo com o atual gestor da capital, o governador Beto Richa atrasou repasses financeiros sistematicamente em uma “demonstração de abuso de poder”.

> “Abuso de poder” diz Fruet sobre repasses do governo Richa

“Agora a cidade pode entender por que o governo do estado atrasou sistematicamente repasses de recursos para a Saúde e compra de remédios; por que o governo do estado interrompeu todos os projetos de pavimentação; o por que do governo do estado não liberou um financiamento novo solicitado a partir de 2013; por que não pagou a dívida da Copa do Mundo. A população agora sabe a atitude tomada pelo governador em uma demonstração de abuso de poder em um ato deliberado que, a pretexto de provocar um resultado eleitoral, prejudicou milhares de moradores de Curitiba e região metropolitana”, declarou Fruet.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="395260" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]