Número de acidentes cai 28,9% com Área Calma

Mariana Ohde


O número de acidentes na região da Área Calma, no centro de Curitiba, caiu 28,9% depois da redução da velocidade máxima no polígono, formado por cerca de 140 quarteirões, entre as ruas Inácio Lustosa, Padre Agostinho, Visconde de Nácar, André de Barros, Nilo Cairo, Mariano Torres e Luiz Leão. Os dados são de um levantamento realizado pelo Batalhão da Polícia de Trânsito. Desde novembro, a velocidade máxima permitida na Área Calma é de 40 km/h.

Foram comparados os registros de acidentes em algumas vias da região no período de cinco meses antes e cinco meses depois da implantação da Área Calma – ruas Mariano Torres, Visconde de Nácar, Luiz Leão, Inácio Lustosa e André de Barros, que delimitam o perímetro da região. Nesses locais, aconteceram 263 acidentes entre 15 de junho a 15 de novembro de 2015 e 187 acidentes entre 16 de novembro 2015 a 16 de abril de 2016. Os registros são de acidentes atendidos no local pelo BPTran e Siate e de cadastros de acidentes realizados por condutores no Boletim de Acidentes de Trânsito Eletrônico Unificado (Bateu).

Não houve vítimas fatais em acidentes de trânsito nessas vias após a implantação da Área Calma – no período anterior de cinco meses, houve uma morte na Rua Luiz Leão. No total o número de feridos nas vias analisadas caiu 36,4%, passando de 33 para 21.

“O principal ponto a se destacar é que não houve mortes na região após a criação da Área Calma. A redução de acidentes aponta que estamos no caminho certo, é um grande avanço em poucos meses de criação do projeto. Os condutores devem continuar respeitando as sinalizações e a velocidade máxima de 40km/h na Área Calma”, diz a secretária municipal de Trânsito, Luiza Simonelli.

A secretária destaca que a redução de acidentes e mortes no trânsito em Curitiba está sendo obtida através do grande investimento da Prefeitura em educação, fiscalização e engenharia de trânsito – em 2015, essas áreas receberam R$ 22 milhões para a realização de diversas ações, como obras e serviços de infraestrutura, além de campanhas de educação.

Segundo o levantamento na Área Calma, as maiores reduções de acidentes aconteceram nas ruas Mariano Torres – 45%, de 109 para 60 acidentes, caindo de 14 para seis feridos – e Luiz Leão – 45,1%, de 31 para 17 acidentes, com 3 feridos em cada um dos períodos analisados.

Também houve queda de acidentes na Rua Inácio Lustosa – 41,5%, de 41 para 24 acidentes, com redução de três para dois feridos – e na Rua Visconde de Nácar – 9,3%, de 43 para 39 acidentes, caindo de nove para quatro feridos. A única via do levantamento que teve aumento de acidentes foi a Rua André de Barros – passou de 39 para 47 acidentes e de quatro para seis feridos.

A Área Calma foi implantada para possibilitar um ambiente de melhor convivência no trânsito, aumentar a segurança e permitir o compartilhamento de diferentes modais de transporte na região central de Curitiba.

O perímetro delimitado tem 133 cruzamentos semaforizados, dos quais 12 são monitorados por fiscalização eletrônica (radares) para garantir o respeito à velocidade máxima de 40km/h e o respeito à sinalização.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal