Polícia Civil investiga suposta morte por hipotermia em Curitiba

Redação


A Polícia Civil ainda não confirma se a mulher de 45 anos encontrada morta na manhã de segunda-feira (13), em uma casa no bairro Cajuru, foi ou não vítima de hipotermia. O corpo dela foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba que faz exames para descobrir a causa do óbito.

Eunice Venâncio estava dentro de um imóvel que seria frequentado por moradores de rua. Segundo informações, ela era dependente de álcool e drogas, mas pode ter morrido por causa do frio.

A mulher foi encontrada no chão de um dos cômodos da casa, que estava com as janelas abertas, sem cobertores e vestida apenas com roupas leves. Ela teria forrado o piso com pedaços de carpete e, assim, atravessado a madrugada mais fria da capital em, pelo menos, 19 anos. A temperatura na cidade chegou a 1,3°C abaixo de zero.

O corpo foi visto por um vizinho, que chamou a Polícia Militar (PM). O responsável pela residência seria amigo da vítima, mas não estava no local. A hipótese de hipotermia foi levantada porque, a princípio, a mulher não apresentava sinais de violência.

O caso é investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que aguarda o laudo do IML. O documento deve sair em 30 dias e, se apontar indícios de crime, vai dar origem a um inquérito.

De acordo com a PM, que não se manifestou sobre o ocorrido, a vítima tinha sido atropelada recentemente e se recuperava de uma cirurgia. Ela ainda estava com pinos na perna.

A hipotermia é caracterizada pela queda da temperatura corporal de 37 graus, em média, para valores abaixo de 35. Isso faz com que o indivíduo entre em processo de tremor intenso devido às contrações dos vasos sanguíneos, que tentam diminuir a perda de calor. A morte ocorre quando o organismo não tem mais energia para controlar esse processo.

As informações são da Agência Brasil

Previous ArticleNext Article