Prefeitura de Curitiba pede na Justiça liberação de rua bloqueada pelo MST

Andreza Rossini


A prefeitura de Curitiba solicitou a liberação da Rua Dr. Fraive, em Curitiba, ocupada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), desde a última quarta-feira (8) em frente ao Instituto Nacional de Reforma Agrária.

“Sem deter as atribuições legais para a retirada dos manifestantes, por se tratar de uma situação de segurança pública, a Prefeitura procura garantir o direito de ir e vir dos moradores da região. Trata-se de uma situação sem precedentes, que interfere diretamente na rotina da cidade”, observou o secretário de Governo, Ricardo Mac Donald Ghisi.

Cerca de 1,2 manifestantes estão acampados no local e ocupam uma quadra inteira da Rua Dr. Fraive. A garagem Incra foi cedida para que os manifestantes usem como cozinha. Os integrantes do MST protestam contra o governo do presidente interino Michel Temer (PMDB). A ocupação começou mesma data em que foram exonerados oito superintendentes do instituto pelo Brasil, inclusive o do Paraná, Nilton Bezerra Guedes.

“A extinção teve impacto direto na reforma agrária do Brasil”, reclama Simone Rezende, da coordenação do MST do Paraná. “Há uma politica nacional de sucateamento e de retirada de prioridade do Incra”, completou.

A mobilização faz parte da jornada nacional de lutas em defesa da reforma agrária. Durante a semana, movimentos sociais promovem manifestações por todo o país.

O ofício da prefeitura foi encaminhado para o Ministério da Justiça, Polícia Militar, Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária e a Polícia Federal. O fluxo de veículos no local é orientado pela Secretaria Municipal de Trânsito, com sinalização e ajustes no semáforo.

Previous ArticleNext Article