Prefeitura não paga empresas de construção e reparos desde outubro, dizem empresários

Andreza Rossini


Cerca de 15 empresas que prestam serviços de roçada, drenagem e tapa buraco para a prefeitura de Curitiba estão sem receber os repasses da administração municipal desde outubro de 2016, segundo os empresários.

De acordo com Luiz Antonio Parigot de Souza, responsável pela empresa Graphit, são aproximadamente R$ 8 milhões em repasses atrasados. “Nós já procuramos a prefeitura e fomos informados que vamos ter uma resposta das providências que serão tomadas em 30 dias, mas não podemos esperar esse tempo”, afirmou.

Responsáveis por 11 das empresas envolvidas se reuniram, na tarde desta terça-feira (14), no Sindicato da Indústria de Construção de Estrada Pavimentação Terraplenagem do Paraná (SICEPOT), para discutir a possibilidade de paralisação dos serviços. Após horas de reunião, os empresários resolveram esperar o novo posicionamento do secretário de finanças municipal.

Ainda segundo Souza, o pagamento dos salários para os mil funcionários de todas as empresas foram feitos até este mês. “Para março não sabemos o que vamos fazer se não receber o repasse da prefeitura. Não temos como os pagar os trabalhadores sem receber”, disse.

A assessoria de imprensa da administração municipal afirmou que repasses realmente estão atrasados e que a dívida está entre os R$ 1,2 bilhões deixados pela gestão anterior.

Por meio de nota a prefeitura afirmou que está tentando resolver os problemas e mantém os empresários informados.

Confira na íntegra: 

– A Prefeitura de Curitiba tem trabalhado desde o início da gestão para regularizar a situação da manutenção da vias da cidade.

– A dívida com as empresas da cidade vem desde outubro do ano passado.

– A gestão anterior suspendeu contratos com as empresas de maneira unilateral.

– No início do ano não havia nenhuma equipe trabalhando na manutenção das ruas.

– A atual administração restabeleceu os contratos e retomou o serviço nas ruas.

– A Prefeitura também vem realizando reuniões periódicas com as empresas do setor a fim de mantê-las informadas de todos os trâmites em andamento para resolver as pendências, lembrando que a dívida total herdada da gestão anterior é de R$ 1,2 bilhão e atinge todos os setores da administração.

– O município vem trabalhando para equacionar o mais rapidamente possível o passivo neste setor.

– Com as medidas que vêm sendo tomadas, a Prefeitura retomou em caráter de emergência serviços essenciais para a população da cidade e passará a fazer a justa remuneração pelos serviços prestados, equalizando paulatinamente o passivo deixado pela gestão anterior.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="414431" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]