Prefeitura recebe cadastro de 4 empresas de transporte compartilhado

Narley Resende


Brunno Brugnolo, Metro Jornal Curitiba 

Terminou oficialmente ontem o prazo para as empresas que operam os serviços de transporte compartilhado em Curitiba se cadastrarem na Prefeitura. Foram quatro as cadastradas: Uber, Cabify, 99POP e ECOdriversBR. As informações prestadas têm validade de um ano.

Com os dados em mãos, o município agora analisa a documentação para deferir (ou não) a regulamentação dos aplicativos. Os deferimentos devem ser publicados em Diário Oficial ainda neste mês.

Quando forem deferidas, as empresas terão 60 dias para identificar os veículos que prestam o serviço com algum adesivo no para-brisa.

A partir do deferimento, também vai estar valendo o preço público, que deverá ser pago pelas empresas pelo uso comercial do espaço público. Os valores serão cobrados por quilômetro rodado de cada viagem, decrescendo de acordo com a distância percorrida. As companhias pagarão R$ 0,08 por quilômetro para trajetos entre 0 e 5 km; R$ 0,05 entre 5,01 e 10 km; e R$ 0,03 para os trajetos acima de 10 km.

Ou seja, em uma viagem de 5 km R$ 0,40 devem ser pagos ao município. Já um trajeto de 7 km renderá R$ 0,35 a Prefeitura. Os aplicativos devem declarar e recolher o preço público até o 5º dia útil de cada mês com relação as viagens do mês anterior.

O Metro Jornal consultou as quatro empresas sobre quem pagará o custo adicional que passará a valer em breve.

Segundo a cooperativa curitibana ECOdriversBR, nada vai mudar na cobrança aos seus usuários.

Por nota, a 99POP informou “que uma vez deferido o pedido de cadastro, o valor da tarifa municipal é adicionado na nossa matriz de preço, sendo repassado ao cliente”

Já a Uber informou que ainda avalia a questão e não descartou o repasse deste valor aos seus clientes.

A Cabify não respondeu ao Metro Jornal até o fechamento desta edição.

Previous ArticleNext Article