Redução do ISS anima empresas de turismo

Andreza Rossini

Do Metro Curitiba

Entrou em vigor no início deste ano a redução de alíquota do ISS (Imposto sobre Serviços) de 5% para 2% para todo o setor de eventos em Curitiba.

Pagarão menos imposto os organizadores de feiras, exposições, congressos e shows, por exemplo. O corte foi um pedido feito pelo setor durante a campanha eleitoral – os empresários reclamavam que outras prefeituras estavam cobrando taxas menores e assim conseguindo trazer mais eventos para suas cidades. “Os grandes organizadores de congressos ou eventos técnicos abrem planilhas de custos para as cidades que se candidatam.

Muitas vezes Curitiba tinha a melhor em infraestrutura, logística, contratação de pessoal, mas no fim os custos ficavam acima”, explica o presidente do CCVB (Curitiba e Região Convention & Visitors Bureau), Adonai Aires de Arruda Filho.

Ele prevê que, com a mudança, mais eventos, principalmente de congressos e feiras, devem acontecer. “Certamente veremos um aumento expressivo no número de eventos ”, disse.

Guerra fiscal

A partir de 2017 começou a valer a lei conhecida como a da Reforma do ISS. Para evitar a chamada guerra fiscal entre os municípios, uma lei federal passou a proibir uma cobrança menor de 2% de ISS em quaisquer setores. “Agora nós estamos no patamar mínimo, ninguém vai cobrar menos”, diz Adonai.

“Florianópolis e Porto Alegre, por exemplo, já cobravam 2%. Outras variam entre 2% e 5%”, conta.

Shows

As mudanças também afetam o setor de shows, inclusive com o fim da cobrança do ISS sobre ingressos de cortesia, também uma reivindicação dos empresários.

O diretor do Parque das Pedreiras, Hélio Pimentel, chamou a redução do ISS de “corajosa e amplamente benéfica para a cidade.” Ele ressalta que, nos grandes shows na Pedreira, é comum que até 40% do público seja de outras cidades. “Além do benefício econômico, é um grande legado cultural para a cidade, cujo valor é imensurável”, afirma.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook