Remodelado, projeto de aluguel de bikes segue apenas no papel

Andreza Rossini

Repórter Bruno Brungnolo do Metro Curitiba

Mais de um ano após a assinatura do contrato entre a prefeitura de Curitiba e o consórcio BikeFácil para a implantação do serviço público de empréstimo de bicicletas, a capital segue sem o serviço.

Durante a mudança de gestão, o projeto passou por uma avaliação do Ippuc (Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano de Curitiba) e foi remodelado ainda no 1º semestre do ano passado.

Segundo a arquiteta do instituto Camila Muzzillo, as 43 estações previstas foram mantidas, porém várias foram relocadas, pois eram muitos próximas umas das outras. “A malha mais está mais racional, mais integrada com o transporte coletivo e as demandas dos equipamentos públicos. Locais que teriam duas estações, como o MON, Praça Osório, Reitoria, por exemplo, tiveram uma delas transferida”, explica Muzzilo.

De maneira geral, as estações foram descentralizadas para outros pontos antes não previstos, como a Praça da Ucrânia, Largo Bittencourt (ao lado do Passeio Público) e nas ruas Hermes Fontes (próximo ao Parque Gomm), Saldanha Marinho, Vicente Machado, Comendador Araújo, Buenos Aires, Nestor de Castro, Mal. Floriano e Al. Dom Pedro II. “A nova distribuição deixou as estações em até 2,5 km do marco zero (Praça Tiradentes), praticamente o dobro da área de abragência”, diz a arquiteta.

Uma das exceções de distância no projeto original ao lado do MON, as estações da PUC foram removidas no atual desenho. Fora as praças, as estações não vão ocupar áreas do passeio – somente vagas de estacionamento. Para o diretor de operações do consórcio, Anaxágoras Mello, o primeiro plano continha uma “quantidade enorme” de falhas. “Existe uma seriedade da prefeitura de colocar o sistema.

Estamos na eminência, na reta final, aos 45’ do 2º tempo para ter um sistema moderno e atualizadíssimo”, declarou. De acordo com a Urbs, gestora do contrato, a ideia era ter dado a ordem de serviço ainda em setembro do ano passado, porém a empresa pediu alterações contratuais. Em dezembro, a Urbs concluiu a análise determinando que alguns pontos poderiam ser atendidos, mas na semana passada o consórcio entrou com novos pedidos. Pelo edital, o sistema contará com pelo menos 480 bicicletas nas 43 estações, com opções de passe semestral a R$ 54, mensal a R$ 12 e diá- rio a R$ 5.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook