“Repercussão exagerada”, diz técnico que devolveu carteira com R$ 1,2 mil

Narley Resende


Endividado, mas trabalhador, o analista de suporte técnico, Milton Boese, que trabalha como terceirizado no banco Bradesco, viu uma atitude simples, de princípios básicos de honestidade, se transformar em uma notícia de grande repercussão. Ele encontrou nessa terça-feira (25), na saída de uma agência bancária do bairro Pinheirinho, em Curitiba, uma carteira com R$ 1,2 mil em dinheiro.

O rapaz, de 36 anos, estava na agência para renegociar uma dívida. Ao sair encontrou a carteira na rua e não pensou duas vezes. Fez um pesquisa para encontrar o dono. “Uma repercussão um pouco exagerada. Não é algo que eu esperava, que seria o normal. Infelizmente, com tanta corrupção, casos de honestidade e bondade acabam viralizando por isso”, analisa.

“A repercussão tem um lado bacana, muita gente me parabenizando, me desejando coisas boas, mas tem um lado que deixa a gente um pouco triste, de saber que algo tão simples, tão básico, [como a honestidade] que aprendi com os meus pais, gere tanta comoção”, aponta.

Milton publicou uma foto dos documentos e colocou a esposa para ir atrás das empresas de plano de saúde e odontológico, até encontrar o dono da carteira. Em uma hora, Leandro Avelino estava com o dinheiro e os documentos.

Quando foi encontrado, Leandro estava em posto de combustíveis, sem dinheiro para pagar abastecimento do carro.

“Eu tinha aproveitado meu horário de almoço, porque meu gerente do Itaú tinha me ligado para eu negociar o meu LIS [Limite Itaú para Saque], e no que eu estava saindo do banco, era 13h40, acabei encontrando a carteira. Entre no meu carro – como tinha um dinheiro considerável, pensei em não ficar dando sopa com dinheiro que não é meu”, conta.

Milton postou no Facebook uma foto da Carteira de Habilitação do dono da carteira. Em seguida pediu para a esposa ligar para os planos de saúde dele para identificar o proprietário. O plano odontológico entrou em contato. Antes disso, no Facebook, algumas pessoas identificaram o rapaz.

Intervenção divina

Segundo Milton, Leandro ficou emocionado com a atitude. “Ele chegou a gaguejar em alguns momentos, porque a emoção acaba tomando conta, né. Uma quantia considerável de dinheiro, não é comum que alguém tem ligue para devolver. Ele estava muito feliz”, afirma.

“Eu tinha ido no banco Santander, do lado o Itaú, e deixei cair o dinheiro. O Milton me falou que outra pessoa passou por cima da carteira e não pegou. Deus fechou os olhos dele e abriu do Milton. Eu fui ao posto abastecer, depois que já tinha abastecido, vi que estava sem a carteira. Deixei meu celular lá. Mas Deus mandou eu voltar no posto. A moça disse que tinha várias ligações”, conta Leandro.

Leandro Avelino conta que o dinheiro da carteira era para pagar contas e o dízimo da igreja que frequenta.

De ontem pra hoje (25) centenas de pessoas entraram em contato, e até milhares pela internet, parabenizaram Milton Boese pela simples atitude de devolver aquilo que não era dele.

Foto: Milton Boese
Foto: Milton Boese

Previous ArticleNext Article