Servidores, vereadores e Ministério Público discutem o futuro do pacote de austeridade

Fernando Garcel


Fernando Garcel, Francielly Azevedo e Narley Resende

Com mediação do Ministério Público do Paraná (MPPR), representantes de servidores municipais aceitaram participar de uma reunião dentro da Câmara Municipal pra negociar a liberação das entradas do Legislativo e votação do pacote de medidas da prefeitura.

Sessão da Câmara que votaria pacote de austeridade é suspensa
Servidores protestam e Câmara é cercada

A sessão que votaria quatro projetos do “Plano de Recuperação de Curitiba” foi suspensa no início da manhã por manifestantes. Eles permaneceram na frente da Câmara durante toda a tarde e impediram a entrada de vereadores. Pelo menos cinco vereadores não conseguiram entrar no prédio para votar os projetos que tramitam em regime de urgência.

O Ministério Público participa da reunião com objetivo de garantir o funcionamento da Câmara e participação dos servidores na discussão, já que ao menos dois projetos do pacote atingem diretamente a categoria, com congelamento dos planos de carreira e reajustes e alterações na Previdência.

Acompanhe ao vivo pelo Facebook.

Medidas de segurança

A Comissão Executiva da Casa determinou a colocação de cancelas e grades ao redor dos prédios da Câmara. A comissão também definiu que os servidores vão ter acesso a 70% dos espaços da casa, reservando os outros 30% para outras entidades interessadas em participar da sessão.

“O limite de acesso às galerias é uma questão de segurança”  afirmou o presidente da Casa, Serginho do Posto.

Professora Josete (PT) questionou a decisão de limitar o acesso dos servidores públicos e reservar espaço a entidades que não têm ligação direta com os projetos que estão na pauta de votação. “Não acho coerente deixar restrita a participação. Eles [outras entidades] nunca vieram discutir nada em relação a servidores. Não tem sentido uma proposta desta. Coloquem cadeiras para estas entidades em frente às bancadas dos vereadores e o restante dos espaços para os sindicatos”, sugeriu.

Greve

A decisão foi tomada depois de uma assembleia realizada pelo Sismuc na quinta-feira (8). Segundo o sindicato, o pacote atinge diretamente mais de 30 mil servidores.

Uma concentração será realizada frente à Câmara a partir das 7h desta segunda-feira. Os servidores começaram a se reunir no local por volta das 5h.

Segundo a prefeitura de Curitiba, a notificação sobre a greve foi recebida, mas o caso não deve ir à Justiça. A prefeitura informou, também, que tem mantido aberto um canal de negociação com a categoria – desde o final de março, quando começaram os encontros com a Comissão de Negociação, representantes da administração municipal estão promovendo reuniões com os sindicalistas, segundo a prefeitura.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="436937" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]