“Só haverá intervenção se julgarem necessário”, diz coronel na Câmara

Andreza Rossini


O coronel Gerson Rolim da Silva, comandante do 20º Batalhão de Infantaria Blindado (BIB) falou sobre intervenção militar na Tribuna Livre da Câmara Municipal de Curitiba. “Nós militares seguimos o que prevê o artigo 142 da Constituição Federal. Só haverá intervenção caso as instituições julguem necessário”.

A declaração do coronel se deu em resposta ao questionamento do vereador Goura (PDT), que indagou sobre notícias que circulam a respeito de uma eventual intervenção no Brasil. “O artigo 142 também prevê que o Exército Brasileiro apoie as forças auxiliares, isto é, em caso de necessidade qualquer governo estadual pode pedir apoio. Mas nosso equipamento não é preparado para a criminalidade urbana. Como usar um carro de combate numa favela? Defendemos investimento na área de inteligência, que a criminalidade seja combatida antes”, declarou.

O Sul é Meu País

Com relação ao movimento “O Sul é o Meu País”, o coronel Gerson Rolim lembrou a própria Constituição prevê a união indissolúvel dos estados. “Na Amazônia também se fala em separatismo, mas devemos lutar contra essas ideias”. Ezequias Barros (PRP) perguntou sobre a situação dos equipamentos do Exército. “Há 15 anos a situação chegou a ser precária, o material era obsoleto, mas hoje demos um salto de qualidade. O país está em crise e o Ministério da Defesa está nesse pacote, porém podemos dizer que nós não baixamos o nível do nosso adestramento”.

 

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="458602" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]