Supermercados e shoppings aderem à ‘multa moral’ em vagas

Narley Resende


Representantes das redes de supermercados Zamprogna, Angeloni, Mufato e Jacomar e dos shoppings Mueller, Pátio Batel, Sports, Barigui, Cidade e Palladium participaram ontem na prefeitura do lançamento dos materiais educativos da campanha Multa Moral.

O objetivo é conscientizar a população a não utilizar as vagas especiais de estacionamento de trânsito. Mesmo em estabelecimentos privados os motoristas infratores estão sujeitos à multa de R$ 127 (que passou de leve para grave recentemente).

A secretária municipal de Trânsito, Luiza Simonelli, explicou, no entanto, que elas só podem ser emitidas por agentes de trânsito. “Muitas vezes, não há como atender imediatamente à solicitação e fiscalizar o uso irregular da vaga, pois o veículo já não es-tá mais lá”, diz.

A campanha foi criada por lei municipal de iniciativa da Professora Josete (PT).

“A sociedade evolui e nos obriga mudar atos, culturas e comportamentos. Cada vez mais, a agenda pública coloca como prioritários temas para atender a diversidade da sociedade, como a valorização e a inclusão das pessoas com deficiência e o respeito aos idosos. Reafirmamos o estabelecimento do diálogo com a sociedade, de compreensão e de enfrentamento à desinformação, à discriminação e ao preconceito, sinalizando para a população que queremos ter uma cidade mais inclusiva e mais humana”, afirmou o prefeito Gustavo Fruet no lançamento da campanha.

A campanha Multa Moral foi criada a partir da Lei Municipal 14.600/2015, proposta pela vereadora Professora Josete, e faz parte também das ações da campanha Não É Privilégio, É Direito, criada em dezembro de 2015 e que já impactou mais de 37 milhões de pessoas pelas redes sociais e meios de comunicação. A distribuição dos novos materiais educativos será feita em parceria com shoppings e supermercados de Curitiba.

“Esses materiais irão ajudar a sociedade na cobrança do respeito às vagas para pessoas com deficiência e idosos. As vagas exclusivas são realmente necessárias ao público a quem elas são destinadas, e devem ser respeitadas nos espaços públicos e privados. Convidamos toda a população a colaborar e ser um agente educador e de conscientização dessas questões”, destacou a secretaria especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdocimo.

Ela lembrou que tanto o bloco de multa moral e o folheto sobre a credencial também podem ser baixados no site da secretaria (www.pessoacomdeficiencia.curitiba.pr.gov.br). A iniciativa libera os direitos autorais para que os estabelecimentos privados possam se apropriar da campanha e promover suas campanhas internas, incluindo sua logomarca nos materiais.

“Esta campanha é muito importante os supermercados e shoppings, pois trabalhamos diretamente com os consumidores, que utilizam as vagas em nossos espaços. É uma parceria com a Prefeitura, o que torna a ação mais forte e deve sensibilizar ainda mais e educar nossos clientes em relação à utilização correta dessas vagas. As pessoas não podem mais ficar desinformadas quanto a esse tema”, disse a representante da Associação Paranaense de Supermercados, Andréa Luy.

A secretaria municipal de Trânsito, Luiza Simonelli, informou que equipes de agentes de trânsito circulam por shoppings e supermercados para coibir as infrações, mas que as autuações são realizadas apenas com a constatação do agente. “Muitas vezes, não há como atender imediatamente a solicitação fiscalizar o uso irregular da vaga, pois o veículo já não está mais lá. Mas também realizamos muitas ações de orientação da correta utilização das vagas especiais nos estabelecimentos privados, pois esta gestão tem um diálogo constante com a sociedade”, confirmou.

Em agosto de 2015, a multa para quem estaciona nas vagas para pessoas com deficiência e idosos passou de leve para grave, com perda de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e multa de R$ 127,69. A partir de novembro deste ano, com as alterações que a Lei Federal nº 13.821 realizou no Código de Trânsito Brasileiro, essa infração passará a ser gravíssima, com perda de 7 pontos no CNH e multa de R$ 293,47.

Previous ArticleNext Article