Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Suspeitos de manter fábrica de placas clandestinas são presos com carros clonados

Dois homens foram presos suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em adulteração de veículos e de manter uma ..

Andreza Rossini - 24 de agosto de 2016, 17:08

Dois homens foram presos suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em adulteração de veículos e de manter uma fábrica de placas clandestinas no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, nesta quarta-feira (24). Eles foram detidos em flagrante por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos, com quatro veículos clonados.

Equipamentos para a fabricação de placas e tarjetas, ferramentas utilizadas para adulterar vidros, selos e chassis de veículos roubados também foram apreendidos pela equipe. Durante as investigações, os policiais fizeram monitoramento próximo a casa de um dos suspeitos, onde perceberam uma grande movimentação de veículos entrando e saindo.

ANÚNCIO

A suspeita se confirmou devido a veículo HB20 branco estacionado na frente da casa. Ao verificar no sistema, os investigadores constataram que se tratava de um carro clonado e que seu verdadeiro proprietário residia em Campo Ere, Estado de Santa Catarina (SC). O homem foi preso quando foi recolher o carro, nesta manhã.  Ele confessou o crime e ainda disse que o Gol verde que estava em sua garagem, também se tratava de um carro clonado.

No decorrer das diligências, a equipe chegou até outro, na Vila Sandra, localizada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), que estava com outros dois veículos que passariam por adulteração de chassi – um Uno e um Voyage, ambos brancos.

De acordo com o delegado-titular da especializada, Wagner Holtz, há suspeitas de que um dos suspeitos seja funcionário de outro, na fábrica de placas clandestinas. “A equipe se deslocou até a fábrica, no bairro Sítio Cercado, onde foram apreendidos os demais equipamentos para a fabricação de placas e tarjetas, além das ferramentas utilizadas para adulterar vidros, selos e chassis de veículos roubados e cerca de 500 latas que após confeccionadas colocariam mais de 250 veículos irregulares em circulação”, afirmou Holtz.

ANÚNCIO

O homem é suspeito de receptar e adulterar aproximadamente 20 veículos por mês, os quais eram vendidos para diversos fins. A dupla responderá por receptação e adulteração de sinal de veículo automotor.