Taxistas obrigam passageiros a sair de carro do Uber em Curitiba

Andreza Rossini


Um grupo de taxistas obrigou quatro passageiros a deixarem um carro do Uber, na Praça da Espanha, em Curitiba, e seguraram o motorista do aplicativo no local, na madrugada desta sexta-feira (17).

Nas imagens é possível ouvir os taxistas afirmando “desçam, nós vamos chamar a polícia, ele não pode trabalhar. Está irregular”. Um dos passageiros, afirmou ser da República Dominicana e estar na capital para participar de um congresso.

O Paraná Portal não conseguiu localizar o motorista que aparece nas imagens, mas outros taxistas relataram casos recentes de confusão envolvendo taxistas e motoristas que trabalham para o aplicativo de caronas. “Eu tinha marcado com algumas meninas de buscá-las na Shed e, ao chegar lá, fui intimidado por mais de cinco taxistas, eles pediram para ver meu carro e o meu celular para saber se eu trabalhava para o Uber. Tive sorte de ter agendado com as garotas e estar com o aparelho celular offline”, disse um motorista que preferiu não se identificar. “Nesta mesma noite, outro motorista do Uber teve o carro riscado em frente à casa noturna por taxistas”, afirmou.

De acordo com os relatos dos motoristas do aplicativo, são frequentes as conflitos com taxistas em locais como baladas, rodoviária e aeroporto. “Há pouco tempo fui buscar um passageiro no aeroporto e cinco taxistas fecharam a via com os carros para que eu não saísse do local. Não tive tempo de frear e bati o carro, por sorte a Polícia Militar estava no local e resolveu o caso”, afirmou.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com o presidente do Sinditáxi, Abimael Mardegan. Em entrevista concedida ao jornal Metro em maio deste ano, afirmou que o sindicato não apoia ou incentiva atos de agressão ou repressão. “Se algum taxista perdeu a cabeça, perdeu sozinho”, disse.  “Estamos pedindo a conscientização da população para não usar isto. Não adianta querer sair batendo panela e depois fazer uma coisa irregular. O Uber é um barato que sai caro, é um engodo que usa essas pessoas desesperadas para ganhar algum dinheiro, mas de forma ilegal”, complementou.

A assessoria de imprensa da Polícia Militar afirmou que não tem os números de agressões envolvendo taxistas e motoristas do Uber, já que os boletins de ocorrência não especificam a ocasião da agressão.

Reforma do Código de Trânsito busca acordo entre taxistas e Uber

Motoristas do Uber denunciam agressões

Regulamentação do Uber

O veto parcial  do prefeito Gustavo Fruet (PDT) à nova lei de transporte individual da cidade pode possibilitar a regulamentação do Uber.  O parágrafo barrado por Fruet estabelece multa para quem for flagrado transportando passageiros, como prestação de serviço particular. Este parágrafo acaba tratando diretamente dos motoristas do Uber – aplicativo para smartphones utilizado para transporte individual – em funcionamento na cidade desde março deste ano.

Os taxistas consideram o serviço como ilegal pois ele não está regulamentado pelo governo federal ou municipal.  O projeto já aprovado na Câmara de Curitiba diz que o transporte individual de passageiros em veículo automotor leve, de categoria particular, é de exclusividade dos táxis cadastrados pelo município.

E foi exatamente esse trecho vetado pelo prefeito. Isso porque a proposta não trata da categoria aluguel, na qual estão os táxis.

Com o veto mantido, fica aberta a possibilidade de regulamentação da plataforma – a tendência é de que o Uber possa funcionar, mas com o pagamento de taxas municipais. Um projeto tratando do assunto está em trâmite na Câmara.

Previous ArticleNext Article