Vacinação contra a gripe continua mesmo após o fim da campanha

Mariana Ohde


Chegou ao fim, nesta sexta-feira (21), a Campanha de Vacinação contra a gripe na rede pública de saúde de todo o Brasil. Mas, como a meta de vacinação não foi atingida em dois dos grupos prioritários, a imunização deve continuar nas unidades básicas de saúde pelo menos até a próxima semana.

No Paraná, foram vacinadas 1,9 milhão de pessoas até esta sexta-feira, 100 mil a mais do que o previsto pela Secretaria Estadual da Saúde. No entanto, a meta de 80% de imunização no estado ainda não foi alcançada em dois grupos prioritários – crianças de seis meses a cinco anos e gestantes. Apenas 66% das gestantes estão imunizadas – restam 14%, de acordo com dados da Sesa. Entre as crianças, 2% ainda precisam receber as doses para que se chegue aos 80% propostos.

Já em Curitiba, apenas a meta de imunização das grávidas ainda não foi atingida – o índice está em 73%. Na capital, o percentual ideal foi alcançado em todos os outros grupos. Em alguns deles, foi até superado – entre os idosos, a vacinação chegou a 106%, entre as crianças a 87% e entre as mulheres deram á luz nos últimos 45 dias, 136% do público. Incluindo os profissionais de saúde, doentes crônicos e indígenas, foram aplicadas, na capital, 448.708 mil doses da vacina, que vão continuar disponíveis nas unidades de saúde por mais alguns dias, segundo Juliane Oliveira, diretora do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde. “Ainda há vacinas disponíveis, mas para os grupos prioritários”, explica.

A representante da Sociedade Paranaense de Pediatria, Tsukio Camoi, reforça a importância da imunização em gestantes, já que os bebês são vacinados meses após o nascimento. “A criança só pode ser vacinada após o sexto mês de vida, então é importante a gestante receber a vacina para que ela passe essa imunidade para seu filho ainda durante a vida intrauterina. O que ela passar de anticorpos vai ser o suficiente para proteger o bebê”, ressalta.

A vacina utilizada durante a campanha é a trivalente, que imuniza contra três tipos do vírus influenza, entre eles o H1N1, uma das formas mais fortes.

(Com informações da CBN Curitiba)

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal