Curitiba sai de temporal para maior temperatura do ano nesta semana

Jorge de Sousa

Curitiba sai de temporal para maior temperatura do ano nesta semana

Após dois dias seguidos de fortes chuvas e temporais, Curitiba deve registrar no restante desta semana a temperatura mais alta do ano.

Segundo a Somar Meteorologia, Curitiba deve registrar 35º nesta quinta-feira (1) e superar a maior temperatura do ano, registrada nesse último domingo (27), com 33,5° marcado nos termômetros antes do temporal.

“Com o céu bastante claro, com o ar muito seco e essa falta de chuva que teremos nos próximos dias, as temperaturas realmente conseguem subir muito rápido em Curitiba”, explicou Dóris Palma, meteorologista da Somar Meteorologia.

Palma apontou que dois fatores têm impacto nessa elevação da temperatura em Curitiba: os ventos que sopram do quadrante norte e noroeste, que trazem ar mais quente para o Paraná, além de um grande sistema de alta pressão atmosférica, que atua entre os estados do Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e grande parte do Brasil Central.

Mas essa semana quente deve ser encerrada com novos temporais na próxima semana, em especial na próxima terça-feira (5).”A combinação de todo esse calor com a umidade que a frente fria traz é um dos principais ingredientes para grandes nuvens de chuva e temporais. É muito comum após vários dias de calor termos temporais e algumas tempestades que se espalham pela região”, continuou Palma.

TEMPORAIS NÃO AJUDAM A DIMINUIR ESTIAGEM EM CURITIBA E REGIÃO

Curitiba e Região Metropolitana passam por uma das mais severas estiagens da história, com a Sanepar adotando um sistema de rodízio no abastecimento de água a cada 36 horas para os moradores dessas cidades.

As fortes chuvas desses últimos dias animaram muitas pessoas em relação a estiagem, mas a tendência é que esses temporais não tenham sido efetivos para mudar a realidade nas barragens.

“Infelizmente essas pancadas de chuva que ocorrem em um, dois dias, são insuficientes para reverter todo esse quadro de estiagem. Para reverter um quadro de estiagem grave a gente precisaria de pelo menos de 200 a 300 milímetros distribuídos em um curto período de tempo”, analisou Palma.

Se os temporais não foram efetivos para diminuir a crise hídrica, existem boas chances de chuvas consistentes caírem em Curitiba e Região Metropolitana a partir do final do mês de outubro.

“Os modelos meteorológicos apontam uma condição mais constante, principalmente entre o final de outubro e o começo de novembro, entre os dias 20 de outubro e 10 de novembro. Mas é uma previsão a longo prazo e por isso temos que monitorar diariamente”, finalizou Palma.

LEIA MAIS: Greca soube que estava com covid-19 antes de divulgar ausência no 1º debate eleitoral

Previous ArticleNext Article