Curitiba vacina pessoas com 30 anos ou mais que tenham comorbidades

Redação

vacina, vacinação, covid, covid-19, coronavírus, curitiba, prefeitura de curitiba, sms, secretaria municipal de curitiba

A partir desta quinta-feira (20), as pessoas com 30 anos ou mais que tenham comorbidades vão receber a vacina contra a covid-19 em Curitiba. A informação foi divulgada na manhã desta quarta (19) pela Agência de Notícias da prefeitura da capital.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, podem ser vacinados aqueles que comprovadamente tenham algum dos 22 tipos de doenças preexistentes listadas no Plano de Imunização Contra a Covid-19, do Ministério da Saúde.

A vacinação é feita das 8h às 17h, nos 18 pontos da cidade (lista abaixo). Todos devem apresentar documento de identificação com foto, comprovante de residência em Curitiba e levar uma caneta.

As equipes de vacinação, além do grupo de 30 anos ou mais com comorbidades, continuam também a imunização com a primeira dose para gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz recentemente) com comorbidades (mediante comprovação da condição de risco); para pessoas com Síndrome de Down acima de 18 anos e para idosos acima de 60 anos (repescagem).

Vacina aplicada em professores

Paralelamente ao grupo de comorbidades com 30 anos ou mais, a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba segue com a aplicação de vacina de professores e trabalhadores da Educação Básica.

A secretaria pede também que as pessoas que não são pacientes do SUS Curitibano preencham antecipadamente o cadastro na plataforma Saúde Já, pelo aplicativo de celular ou pelo site www.saudeja.curitiba.pr.gov.br. Assim, o processo de vacinação é mais rápido.

Como funciona vacinação para comorbidades – 30 anos e mais

Pacientes do SUS Curitibano: pessoas com mais de 30 anos que têm pelo menos uma das 22 doenças da lista de comorbidades e são acompanhados pelas unidades de saúde de Curitiba não precisarão apresentar nenhum documento. Estas pessoas são avisadas pelo aplicativo Saúde Já que são elegíveis para a vacina contra a covid-19.

Pacientes da rede privada: declaração médica disponibilizada no portal do CRM-PR, emitida pelo médico que o/a acompanha, com a indicação da comorbidade listada pelo Ministério da Saúde para essa fase.

O médico precisará declarar que o paciente está sob seus cuidados, assinalar a veracidade e autenticidade das informações descritas na declaração, sob pena de responsabilização pelo Código de Ética Médica e Código Penal.

Gestantes com comorbidades: para receberem a vacina, as grávidas com comorbidades devem apresentar carteirinha de pré-natal (SUS ou particular) ou resultado positivo de laboratório para exame de gravidez com o nome da paciente ou a declaração médica padrão disponibilizada pelo Portal do CRM para fins de vacinação de pacientes da rede particular. Além disso, devem também devem apresentar documentação da condição de risco, por meio de exames, receitas, relatório médico, prescrição médica.

LISTA DE COMORBIDADES PARA VACINA EM QUEM TEM 30 ANOS OU MAIS

  • Diabetes mellitus (qualquer indivíduo com diabetes);
  • Pneumopatia crônica grave (indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave com uso recorrente de corticoides sistêmicos ou internação prévia por crise asmática).
  • Hipertensão Arterial Resistente (pacientes cuja pressão arterial permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou com pressão arterial controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos);
  • – Hipertensão Arterial estágio 3 (pressão arterial sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independente da presença de lesão em órgão-alvo ou comorbidade);
  • Hipertensão Arterial estágio 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade (pressão arterial sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade);
  • Insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association;
  • Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária;
  • Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo);
  • Síndromes coronarianas crônicas (angina pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós-infarto agudo do miocárdio);
  • Valvopatias (lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico);
  • Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática;
  • Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas (aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos);
  • Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; entre outras);
  • Cardiopatias congênitas no adulto com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico;
  • Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular);
  • Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e síndrome nefrótica;
  • Imunossuprimidos (indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticóide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas);
  • Hemoglobinopatias graves (doença falciforme e talassemia maior);
  • Obesidade mórbida (IMC ≥ 40);
  • Síndrome de down (trissomia do cromossomo 21);
  • Cirrose hepática (cirrose hepática Child – Pugh A, B ou C);
  • Pessoas com deficiência permanente entre 18 e 59 anos e que sejam cadastradas no Benefício de Prestação Continuada (BPC).

 

Além desses:

– Gestantes com comorbidades, em qualquer idade gestacional entre 18 e 59 anos

 

Pontos fixos de vacinação contra covid-19

Das 8h às 17h

1 – Pavilhão da Cura
Parque Barigui (entrada somente pela BR-277)

2 – US Ouvidor Pardinho
Rua 24 de Maio, 807 – Praça Ouvidor Pardinho

3 – Centro de Referência, esportes e atividade física
Rua Augusto de Mari, 2.150 – Guaíra

4 – US Salvador Allende
Rua Celeste Tortato Gabardo, 1.712 – Sítio Cercado

5 – US Parigot de Souza
Rua João Eloy de Souza, 111 – Sítio Cercado

6 – US Vila Diana
Rua René Descartes, 537 – Abranches

7 – US Fernando de Noronha
Rua João Mequetti, 389 – Santa Cândida

8 – Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira
Rua Guilherme Ihlenfeldt, 233 – Bacacheri

9 – US Jardim Paranaense
Rua Pedro Nabosne, 57 – Alto Boqueirão

10 – US Visitação
Rua Dr. Bley Zornig, 3136 – Boqueirão

11 – US Camargo
Rua Pedro Violani, 364 – Cajuru

12 – US Uberaba
Rua Cap. Leônidas Marques, 1392 – Uberaba

13 – Clube da Gente CIC
Rua Hilda Cadilhe de Oliveira

14 – US Vila Feliz
Rua Pedro Gusso, 866 – Novo Mundo

15 – US Aurora
Rua Theofhilo Mansur, 500 – Novo Mundo

16 – US Pinheiros
Rua Joanna Emma Dalpozzo Zardo, 370 – Santa Felicidade

17 – Rua da Cidadania do Tatuquara
Rua Olivardo Konoroski Bueno, s/n

18 – Rua da Cidadania do Fazendinha
Rua Carlos Klemtz, 1.700

 

Leia também: Covid-19: Paraná recebe terceira remessa de vacinas da Pfizer com 39.780 doses

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="765021" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]