Casos de dengue crescem 11% em uma semana e Paraná amplia recorde histórico

Redação

Secretaria aponta queda da incidência de dengue no Paraná

O Paraná segue elevando o recorde histórico de casos e mortes por dengue no atual ciclo. Segundo boletim semanal divulgado pela Sesa (Secretaria da Saúde do Paraná), as ocorrências da doença no estado cresceram 11% na última semana e chegaram a 128.405 mil contaminações.

Como comparação, nesta mesma época de 2019 o estado apresentava 4.308 casos confirmados de dengue. A Sesa aponta o aumento na circulação do sorotipo 2 do vírus da doença para o aumento de 2.880% nas ocorrências.

Ainda existem 203 municípios do Paraná em situação de epidemia de dengue, sendo que na última semana as cidades de  Pérola D´Oeste, Céu Azul, Espigão Alto do Iguaçu, Mamborê, Francisco Alves, Iporã, Rancho Alegre e Carlópolis entraram nessa situação.

Outros 30 municípios paranaenses estão em situação de alerta, com a entrada das cidades de Paranaguá, Palmital, Cruzeiros do Iguaçu, Boa Vista da Aparecida, Catanduvas, Arapongas e Ortigueira. nessa lista.

Também foram confirmados pela Sesa mais seis óbitos pela doença, tendo sido registrados 111 mortes desde julho de 2019.

As novas mortes foram registradas nos municípios de Cambé, Região Norte do Paraná, em um homem de 81 anos e uma mulher de 71 anos, ambos sem histórico de doenças graves.

Outras duas mortes foram confirmadas nos municípios de Primeiro de Maio e Alvorada do Sul, também localizados na Região Norte do estado, em uma mulher de 63 anos (sem histórico de doença grave) e uma mulher de 68 anos (hipertensa), respectivamente.

Por fim, os municípios de Marechal Cândido Rondon e Rondon (Região Oeste do Paraná) registraram óbitos em uma mulher hipertensa de 87 anos e um homem hipertenso e com problemas renais de 57 anos, respectivamente.

PARANÁ TEM CINCO CASOS DE CHIKUNGUNYA

Além da dengue, a chikungunya também está presente no Paraná. Na última semana foi registrado o primeiro caso endêmico da doença, em uma mulher residente no município de Marialva, na Região Noroeste.

A mulher esteve em viagem na Bahia, aonde contraiu a doença. Segundo a Sesa, outros quatro pacientes também contraíram chikungunya neste ciclo, sendo que todas as contaminações ocorreram fora do Paraná.

Outra doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti é a zika, que já contaminou quatro pessoas no Paraná. Três dessas ocorrências autóctones e outra foi importada de outro estado.

Previous ArticleNext Article