Depen transfere presos e esvazia delegacia de Londrina

Mariana Ohde


Trinta e oito presos foram transferidos nesta quarta-feira (10) da carceragem do 5º Distrito Policial de Londrina, que agora não abriga mais nenhum detento, para a Penitenciária Estadual do município, a PEL 2. Eles estão nas celas de uma área recém-estruturada da penitenciária.

A realocação faz parte de um projeto desenvolvido em conjunto com a Vara de Execuções Penais em Londrina, com a participação do juiz Katsujo Nakadomari, do Conselho Comunitário da cidade e da direção da Penitenciária Estadual, comandada por Reginaldo Peixoto.

De acordo com o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, a iniciativa pretende desafogar o sistema carcerário criando um ambiente mais propício para a ressocialização dos condenados.

“Hoje conseguimos esvaziar a delegacia de Londrina, mas a solução definitiva para este problema são as 14 obras de construção e ampliação de penitenciárias que já iniciaram. A previsão é de abertura de quase 7 mil novas vagas. Só assim possível retirar todos os presos das delegacias do estado”, disse o secretário.

“Há algum tempo estabelecemos o início deste plano para reestruturar uma área da PEL 2 que foi danificada a última rebelião e que carecia de algumas reformas, alguns consertos especificamente na questão das grades e da recomposição das paredes e isso foi feito por meio dessa parceria. Diante disso, foi possível transferir os presos para ocupar esse espaço e, consequentemente, esvaziar a unidade do 5º Distrito Policial”, explicou o diretor do Depen, Luiz Alberto Cartaxo Moura.

Ele disse que o próximo objetivo é transferir também os detentos do 4º Distrito Policial e, posteriormente, a retirar todos os presos das delegacias da cidade de Londrina. “Estamos fazendo um grande trabalho neste sentido e até ao final de 2018 nós teremos a abertura de cerca de 7 mil vagas que estarão disponíveis e que irão acabar com essa situação nas delegacias de polícia”, reforçou.

23 presos fogem da Delegacia de Piraquara
Sete presos fogem de cadeia com tirolesa no Paraná
Após paralisação, Sesp anuncia novos equipamentos para a Polícia Civil

A transferência e o consequente esvaziamento da delegacia vai contempla o planejamento da Secretaria da Segurança Pública e do Departamento de Execuções Penitenciárias (Depen) e atende os anseios da comunidade vizinha ao 5º DP.

“Com essa transferência, os policiais que auxiliavam na custódia de presos vão voltar a executar o trabalho da Polícia Judiciária”, afirmou o delegado da 10ª Subdivisão Policial (SDP) de Londrina, Sebastião Ramos dos Santos Neto. O desvio de função foi um dos fatores que motivaram uma paralisação dos policiais civis no início de agosto.

Obras

A Secretaria de Segurança Pública iniciou construções e ampliações no sistema prisional do Paraná. São 14 obras que irão aumentar em 6.756 o número de vagas no sistema penitenciário de todo o estado, totalizando cerca de 25 mil vagas nos presídios paranaenses. O cronograma prevê para até 2018 a conclusão das obras em cadeias e penitenciárias de sete cidades paranaenses – Piraquara, Foz do Iguaçu, Cascavel, Londrina, Guaíra, Campo Mourão e Ponta Grossa. Dez das 14 obras estarão prontas em 2017, restando quatro a serem inauguradas no ano seguinte.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="378171" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]