Desaparecimento de empresária em Marechal Cândido Rondon é tratado como feminicídio

De acordo com a PCPR (Polícia Civil do Paraná), o desaparecimento da empresária Edna Storari em Marechal Cândido Rondon,..

Redação - 03 de dezembro de 2021, 09:54

Reprodução/TV Tarobá
Reprodução/TV Tarobá

De acordo com a PCPR (Polícia Civil do Paraná), o desaparecimento da empresária Edna Storari em Marechal Cândido Rondon, na região oeste, é tratado como feminicídio. O marido da vítima está preso desde 7 de outubro e é o principal suspeito do crime.

Ontem, quinta-feira (2), a polícia cumpriu mandados de busca e apreensão, além de prisões no município. Na ação, o filho do marido da vítima foi preso no bairro Vila Gaúcha. Ele é suspeito de colaborar de forma intelectual no crime.

Já no bairro Boa Vista, a filha do enteado da empresária e o namorado também foram presos. Eles são apontados como partícipes no desaparecimento do corpo e na tentativa de apagar provas do crime.

A empresária Edna Storari desapareceu no dia 20 de setembro em Marechal Cândido Rondon. Segundo o marido, ela teria viajado com um casal de amigos da igreja em uma missão no Paraguai, sem levar celular e cartões.

O que chamou atenção da polícia é que o cônjuge alegou que ela pediu para apagar todos os dados do celular antes de viajar. Durante o inquérito, quando pessoas foram ouvidas, a versão apresentada pelo companheiro foi desmentida.

Agora, a PCPR tem 10 dias para finalizar o inquérito e enviar ao Poder Judiciário e MPPR (Ministério Público do Paraná), com os indiciamentos de cada um no crime. Os quatro devem respondem por feminicídio, ocultação de cadáver e fraude processual.

*Paraná Portal em parceria com Tarobá News.